“Todo mundo sabia lá em cima”, diz doleiro em depoimento

De acordo com trecho da delação publicado neste sábado no O Estado de S. Paulo, não tinha como operar um tamanho esquema desse se não houvesse o aval do executivo

Após a denúncia da Revista Veja repercutir durante esta sexta-feira, outra publicações foram em busca de maiores informações contidas na matéria. O doleiro Alberto Youssef, em sua delação premiada teria dito durante o depoimento aos policiais federais que se a cúpula do governo não soubesse seria impossível operar o esquema e que em 2010 o ex-presidente Lula teria dado ordens para que o então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli resolvesse uma pendência com a agência de publicidade Muranno Marketing/Brasil, suspeita de integrar o esquema de propina. As informações estão na edição deste sábado do jornal O Estado de S. Paulo.

“Todas as pessoas com quem eu trabalhava diziam o seguinte: ‘todo mundo sabia lá em cima, que tinha aval para operar. Não tinha como operar um tamanho esquema desse se não houvesse o aval do executivo. Não era possível que funcionasse se alguém de cima não soubesse, as peças não se moviam”, diz Youssef em relato do jornal.

Ainda segundo o doleiro, a Muranno Marketing/Brasil tinha valores a receber e, em razão disso, ameaçava tornar de conhecimento público o esquema. Por isso, o ex-presidente teria acionado José Sérgio Gabrielli. “O Lula ligou para o Gabrielli e falou que tinha que resolver essa merda”, relata o jornal como trecho do depoimento do doleiro. A Polícia Federal já identificou dois repasses num total de R$ 1,7 milhão à agência vindos da MO Consultoria, uma das empresas do doleiro.

Veja aqui a íntegra da reportagem

Mais sobre as eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Alberto Youssefjosé sérgio gabrielliLulaoperação lava-jatoPolícia Federal