Temer vota no início da manhã e evita manifestantes

Para evitar protesto organizado por estudantes, Temer chegou na PUC-SP logo após a abertura das urnas. Uma manifestação contra o peemedebista estava prevista para ocorrer no local

O presidente Michel Temer votou logo no início da manhã deste domingo (2), em São Paulo, na PUC no bairro Perdizes. O peemedebista preferiu não dar chance ao protesto organizado por estudantes da universidade, que planejavam realizar um ato no local contra o presidente. A estratégia de Temer funcionou: ao chegar pouco depois da abertura das urnas ele driblou eventuais protestos e a imprensa.

A PUC foi palco de confrontos entre manifestantes favoráveis e contrários ao impeachment de Dilma Rousseff, em março deste ano. Um evento no Facebook batizado de "Temer não votará" convocava a população para o protesto de hoje. "Quem não respeita a democracia e a soberania do voto popular não merece o direito ao voto! Por isso convidamos todos e todas a comparecerem a PUC-SP, local onde o presidente ilegítimo vota, para realizar um protesto de caráter simbólico em defesa da democracia, contra o governo do presidente usurpador e contra a retirada de direitos trabalhistas e sociais!", diz a descrição.

A assessoria de Temer havia informado que ele votaria às 11h. O presidente também preferiu utilizar outra porta de acesso para a universidade não passou pela entrada principal do colégio, que fica na rua Monte Alegre. Ele chegou acompanhado por assessores e seguranças. A primeira-dama, Marcela Temer também votou logo cedo em outro colégio eleitoral paulistano, Rainha da Paz, em Alto de Pinheiros. Marcela deixou o local sem falar com a imprensa.

Mais sobre Eleições 2016

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!