Temer diz que não participou de “reunião de mafiosos” para cobrar propina e admite rever Imposto de Renda

Em entrevista a emissoras de rádios regionais na manhã desta segunda-feira, presidente chamou de "fantasiosa" delação que o aponta como participante de reunião em que se definiu repasse de US$ 40 milhões para o PMDB

 

Em entrevista a emissoras de rádio na manhã desta segunda-feira (15), o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que são “fantasiosas” as acusações de que comandou um encontro para acertar propina de R$ 40 milhões ao PMDB, o que chamou de “reunião de mafiosos”. O valor seria uma contrapartida para ajudar a Odebrecht com contratos da Petrobras. “Essa coisa de que, sentado em uma cabeceira, fazendo reunião de mafiosos, e R$ 40 milhões? É muita coisa. Realmente, são coisas fantasiosas, mas que pegaram, porque se divulgou muito. Isso tem de ser apurado ao longo do tempo.”

 

O encontro foi relatado por Márcio Faria, ex-diretor da Odebrecht Ambiental, em seu acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Faria disse ainda que o encontro teve a participação dos ex-presidentes da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e foi realizado em São Paulo, no escritório político de Temer, em julho de 2010. Segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por contar com prerrogativa constitucional, Temer não pode ser investigado por atos anteriores ao mandato como presidente da República.

Faixa de isenção do IR

Segundo Temer, o governo fez uma análise inicial sobre a ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), conforme informa o Valor Econômico nesta segunda-feira. Mas, de acordo com o presidente, o assunto está sendo discutido em conversa inicial. Ao ser questionado se a proposta seria para dobrar a faixa de isenção do imposto, como afirma o jornal, Temer se esquivou de resposta objetiva. Afirmou que seria bom e que mais trabalhadores seriam beneficiados. “Mas é uma coisa complicada e foi fruto de uma breve fala que as paredes comentaram."

Governo estuda dobrar isenção do IRPF e tributar dividendos, diz Valor

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!