Telefonia foi campeã de reclamações em 2012

Operadoras geraram 172.119 reclamações nos Procons de todo o país ano passado, tomando o primeiro lugar das empresas de cartão de crédito, principais alvos dos consumidores em 2011

As empresas de telefonia foram as campeãs em reclamações nos Procons de todo o país em 2012. De um total de 1.877.966 queixas recebidas, 172.119 (9,17%) foram relacionadas a esses serviços. As empresas de celular tomaram o posto ocupado no ano anterior pelas empresas de cartão de crédito e assumiram a primeira colocação no ranking de reclamações no órgão de proteção e defesa do consumidor. O setor de telecomunicações, que inclui telefonia celular e fixa, TV por assinatura e internet, somou 21,7% das ocorrências. Em 2011, havia sido responsável por 17,4% das reclamações. Os dados são da Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça.

No ano passado, foram realizados 2.031.289 atendimentos pelos Procons. Quase 20% mais que o total registrado no ano anterior. Os principais problemas enfrentados pelos consumidores em 2012, assim como no ano anterior, foram cobranças indevidas, questões contratuais e qualidade de produtos e serviços.

De todas as empresas do país, a que gerou maior número de reclamações foi a Oi, com 120.374 registros. Em segundo lugar, outra telefônica, a Claro/Embratel, com 102.682. Depois, apareceram dois bancos (Itaú e Bradesco). A sexta colocação também ficou com a telefonia. A Vivo/Telefônica foi responsável por 44.022 queixas nos Procons. No sétimo lugar ficou a Sky. Logo em seguida, na oitava posição, a Tim/Intelig, com 32.286 reclamações. Santander, Ponto Frio/Casas Bahia e Ricardo Eletro/Insinuante/City Lar/Eletroshopping completam o ranking dos campeões de insatisfação dos consumidores em 2012.

Os dados se referem às queixas resolvidas ainda no Procon, chamadas "demandas", aquelas em que não há necessidade de ação judicial. O total de reclamações transformadas em processos deve ser divulgado no início do segundo semestre pelo Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas, da própria secretaria.

Câmara ameaça com CPI, e telefônicas contra-atacam
Telefônicas: "CPI não nos assusta"

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!