TCU aponta irregularidades em pregões eletrônicos

De acordo com o jornal Correio Braziliense, compras com indícios de irregularidades chegam a R$ 4,6 bilhões e pelo menos em 16 mil casos em que empresas com sócios em comum participavam de licitações para itens semelhantes

O Tribunal de Contas da União (TCU) apurou irregularidades nos pregões eletrônicos realizados por meio do Compasnet, site que atende à administração direta do governo federal. A informação é do jornal Correio Braziliense desta quarta-feira (2).

De acordo com o jornal, o TCU detectou dois tipos de irregularidades após auditorias na conduta de empresas participantes de procedimentos licitatórios: empresas com sócios em comum que apresentavam propostas para o mesmo item de determinadas licitações e a existência de firmas que eram impedidas de participar dos pregões ou por não atenderem aos critérios dos editais ou por não honrarem propostas em licitações anteriores.

Segundo o jornal, foram detectados pelo menos 16 mil casos em que pelo menos duas empresas que participaram das licitações tinham sócios em comum. “Os valores estimados das contratações em cujas licitações esses problemas foram identificados somam R$ 4,6 bilhões”, diz o jornal.

Segundo o jornal duas empresas, a Vetec Química Fina e a Sigma-Aldrich Brasil, foram consideradas inidôneas pelo TCU e proibidas de participar de licitações por dois anos. Mas mesmo assim, essas companhias simularam competição em vários pregões. “Quando uma delas desistia de honrar seus lances, a segunda empresa assinava contrato a preços maiores. O tribunal fez recomendações ao Ministério do Planejamento para aperfeiçoar o Comprasnet e evitar que a prática se repita”, descreve o jornal.

Confira a reportagem na íntegra

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!