Suplicy: “Vou me deitar para evitar violência”

Ex-senador petista foi detido depois de unir a populares em protesto contra reintegração de posse, na zona oeste de São Paulo. Apesar das cenas de truculência, explica, tudo ocorreu pacificamente: “Os delegados foram muito civilizados e respeitosos comigo”

O ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi liberado após prestar depoimento no início da tarde desta segunda-feira (25) e disse que se deitou no asfalto durante protesto contra uma reintegração de posse, na Zona Oeste de São Paulo, para evitar a violência da Polícia Militar. "Fiquei com receio de que pudesse de repente haver uma cena de violência quase que incontrolável. Daí eu falei 'olha, eu vou me deitar aqui para prevenir e evitar qualquer violência'. Em síntese foi isso que aconteceu", disse o petista.

Suplicy foi detido na manhã de hoje (segunda, 25) por resistência a determinação judicial. O ex-parlamentar, de 75 anos de idade, foi carregado por agentes da PM até o 75º Distrito Policial, no Jardim Arpoador (veja no vídeo abaixo).

 

A Casa Civil do Governo de São Paulo criticou a atitude de Suplicy, e lamentou que o petista tenha "tumultuado" a ação da polícia. "O ex-senador Eduardo Suplicy insistiu na obstrução da via mesmo após negociação. A oficial de Justiça Vilma Martins Coelho (funcionária do Tribunal de Justiça de São Paulo) deu ordem de prisão ao ex-senador, que foi encaminhado ao 75º DP para registro de boletim de ocorrência. À PM, coube cumprir a decisão judicial", diz a nota divulgada pela secretaria (leia a íntegra abaixo).

Candidato a vereador, Suplicy agradeceu a solidariedade prestada e reforçou que sua atitude buscou prevenir qualquer ato de violência. "Foi então que a oficial de Justiça fez um apelo a mim para que eu me levantasse e eu disse: 'Olha, a minha atitude aqui é para prevenir qualquer ato de violência, nada de querer tumultuar a reintegração de posse e ela pediu que eu me levantasse espontaneamente e eu falei não vou me levantar, não criarei qualquer resistência se quiserem me levar", disse o petista.

"Os delegados foram muito civilizados e respeitosos comigo. Aliás os próprios PMs que me levaram até o lugar e que haviam me carregado também tiveram uma atitude de diálogo respeitoso para comigo", acrescentou.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Secretaria da Casa Civil do Governo de São Paulo

A Secretaria da Casa Civil lamenta que o ex-senador Eduardo Suplicy tenha aproveitado a fragilidade de famílias para tumultuar uma reintegração de posse em
cumprimento a uma ordem judicial solicitada pela prefeitura de São Paulo, dona do terreno. Três reuniões prévias foram realizadas e parte das 400 famílias já havia se retirado da área.
O ex-senador Eduardo Suplicy insistiu na obstrução da via mesmo após negociação. A oficial de Justiça Vilma Martins Coelho (funcionária do Tribunal de Justiça de São Paulo) deu ordem de prisão ao ex-senador, que foi encaminhado ao 75º DP para registro de boletim de ocorrência. À PM, coube cumprir a decisão judicial.

Mais sobre Eduardo Suplicy

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!