Polícia investiga desaparecimento de embaixador grego no Rio

Por enquanto, suspeitas de sequestro estão descartadas. De acordo com a delegacia que investiga o caso, como não foi feito, até o momento, nenhum contato com a família para pedir resgate, esta hipótese é a menos provável

 

 

Na tarde desta quinta-feira (29), o delegado Evaristo Pontes afirmou que a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense começou a tratar o sumiço do embaixador da Grécia no Brasil Kyriakos Amiridis como desaparecimento. A esposa do embaixador afirmou que desde a última segunda-feira (26) não tem notícias do marido.

Kyriakos mora em Brasília e foi ao Rio de Janeiro para as festas de fim de ano. Ele deixou o imóvel da família, em Nova Iguaçu, sem dizer para qual destino seguia e não voltou mais. O último contato foi feito às 20h de segunda-feira, quando ligou para a esposa e avisou que sairia.

Por enquanto, as suspeitas de sequestro estão descartadas. De acordo com a delegacia que investiga o caso, como não foi feito, até o momento, nenhum contato com a família para pedir resgate, esta hipótese é a menos provável.

Ainda com informações da delegacia, a polícia já solicitou informações do possível uso do celular e dos cartões de crédito para operadoras de telefonia e bancos. A ideia é mapear os últimos registros para traçar um caminho natural de busca. Também foram recolhidas imagens das câmeras de segurança da cidade.

Mais sobre violência

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!