Sucessão na Câmara: PT, PDT e PCdoB preparam apoio a Marcelo Castro, ex-ministro de Dilma

Legendas que integravam base de apoio de Dilma querem concentrar seus votos para tentar eleger um nome que seja contra Cunha e, nesse sentido, dissidente do governo Temer

Os partidos da base de apoio do governo da presidente afastada Dilma Rousseff decidiram apoiar, juntos, um único candidato ao mandato-tampão de seis meses para a presidência da Câmara. PT, PDT e PCdoB, que totalizam 87 votos, devem se definir pelo nome de Marcelo Castro, ex-ministro da Saúde do governo anterior e escolhido como candidato ao comando da Casa, nesta terça-feira (12), pela bancada do PMDB.

O nome de Castro ganhou força no transcorrer do dia entre os deputados da atual oposição ao governo do presidente interino Michel Temer. Uma das explicações para o movimento é o fato de que o parlamentar se apresentou como o candidato anti-Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-presidente da Câmara que admitiu a abertura do processo de impeachment de Dilma e é identificado como o algoz do governo do PT.

Os deputados dos três partidos vão se reunir na manhã desta quarta-feira (13) para formalizar o apoio ao nome de Marcelo Castro. As direções das três legendas não pretendem “fechar questão” sobre o tema e, dessa maneira, obrigar seus deputados a votar no nome definido pela bancada, sob pena de punição. Mas querem evitar, ao máximo, a quantidade de defecções.

Mais sobre eleição da Mesa

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!