Sucessão na Câmara: Mansur propõe agenda de reformas

Deputado defende que parlamentares aprovem leis para tentar superar a crise econômica, como as propostas de reformas da Previdência e trabalhista. Assista ao vídeo em que Mansur fala sobre sua plataforma básica

O deputado Beto Mansur (PRB-SP) tenta viabilizar sua eleição para o mandato tampão de presidente da Câmara em lugar de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que renunciou ao cargo na quinta-feira (7). O parlamentar diz que, para ocupar o posto, o novo presidente tem que pensar no Brasil e apresentar ideias para a solução das crises política e econômica.

Na sua plataforma para as eleições internas, Mansur promete boa vontade com a aprovação de propostas como a reforma da Previdência, a reforma trabalhista e o limite dos gastos públicos. “Temos que fazer a defesa do Parlamento que está muito desgastado junto à opinião pública. Mas também precisamos aprovar propostas que minimizem os problemas do dia-a-dia do povo brasileiro”, diz Mansur.

Mansur foi eleito primeiro secretário da Mesa Diretora e era identificado com aliado do ex-presidente. Ele e Cunha chegaram a aprovar a construção de novos gabinetes, auditórios, estacionamentos e até espaços para lojas comerciais. O custo estimado seria de R$ 1 bilhão. No planejamento inicial, a obra seria feita pelo sistema de Parceria Público Privada, com investimento da construtora que iria explorar comercialmente o espaço depois de pronto. Com a crise, o “shopping” foi deixado de lado.

O mandato tampão de presidente da Câmara vai até o dia 2 de fevereiro quando um novo presidente será eleito por um período de dois anos. Mansur faz campanha para substituir Cunha desde que o Supremo Tribunal federal afastou o ex-presidente de suas atividades. Com a candidatura certa, Mansur fala da sua plataforma básica em entrevista ao editor Leonel Rocha.

Mais sobre Eduardo Cunha

Mais sobre legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!