Sucessão na Câmara: evangélicos fazem campanha contra Rodrigo Maia

Grupo religioso é contra Rodrigo Maia porque ele foi o autor do requerimento para votação em regime de urgência do projeto de lei que criminaliza a homofobia - aprovado pela Câmara em 2006 e parado no Senado

Leonel Rocha
A frente evangélica está fazendo campanha para derrotar o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) no segundo turno da eleição para a presidência da Câmara. O motivo alegado pelos deputados religiosos é que Maia foi o autor do requerimento para votação em regime de urgência do projeto de lei que criminaliza a homofobia - aprovado pela Câmara em 2006 e parado no Senado por influência dos religiosos.

Para favorecer Rogério Rosso (PSD-DF), que também integra o grupo evangélico, a bancada convenceu o deputado Gilberto Nascimento (PSC-SP) a retirar sua candidatura em pleno processo eleitoral na Casa. A campanha dos evangélicos contra Rodrigo Maia pode decidir a eleição ainda esta noite em favor de Rosso.

Maia dificilmente vai conseguir demover deputados evangélicos da influência desta campanha. O deputado Marcos Feliciano (PSC-SP) é o mais empenhado em derrotar Maia. Ele usa o argumento em todas as conversas nesta noite na Câmara. A bancada evangélica tem cerca de 200 votos.

Mais sobre legislativo em crise

Mais sobre eleição

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!