Solidariedade protocola ação civil contra pronunciamento de Dilma

Processo tenta impedir que a presidente Dilma Rousseff utilize os meios de comunicação na noite desta sexta-feira para se defender do processo de impeachment que corre contra ela na Câmara dos Deputados

O Solidariedade protocolou às 14h30 de hoje (sexta, 15) ação civil para barrar o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff previsto para esta noite, em rede nacional de televisão e rádio. De acordo com o presidente nacional da legenda, Paulinho da Força (SP), o processo está na 6ª Vara de Justiça em Brasília, e será julgado pela juíza Ivanir Silva da Luz.

"Não podemos assistir calados Dilma usar a máquina pública em horário nobre para se defender da votação de domingo. A Comissão do Impeachment deu todas as chances para ela ir pessoalmente à Câmara se defender, mas preferiu fazer do Advogado Geral da União garoto de recados", afirma Paulinho, um dos parlamentares mais fiéis ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

"A convocação de rede nacional só se justifica quando é assunto de interesse público. Ela convocar esse pronunciamento vai dividir ainda mais o país. Ela vai falar o que? O governo dela já acabou", acrescentou o deputado.

Como o objeto principal da denúncia está previsto para acontecer ainda hoje, a decisão proferida por Ivanir também deve ser deliberada nesta tarde.

Para o líder do Solidariedade na Câmara, deputado Genecias Noronha (CE), Dilma convocou cadeia nacional para fazer defesa pessoal: "E isso não pode", enfatizou.

Mais sobre impeachment

Mais sobre Dilma Rousseff

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!