Solidariedade ameaça desembarcar do bloco da oposição

Partido, que apoia a candidatura de Eduardo Cunha ao comando da Câmara, é contra a participação de Júlio Delgado (PSB-MG) na eleição. Em nota, SD afirma que postura facilita volta do PT ao principal posto da Mesa Diretora

O presidente nacional do Solidariedade (SD), deputado Paulinho da Força (SP), e o líder do partido na Câmara, Arthur Maia (BA), ameaçaram nesta quinta-feira (22) sair do bloco partidário da oposição caso seja mantido o nome de Júlio Delgado (PSB-MG) na disputa pela presidência da Casa. Em nota oficial, os dois afirmam que a candidatura do pessebista se tornou uma "linha auxiliar do PT". No ano passado, o SD fechou apoio a Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A divergência está na base do bloco formado para esta legislatura. PSDB, PSB, PV, PPS e SD fecharam um acordo para atuarem juntos a partir de fevereiro. Juntos, eles possuirão 143 deputados a partir de fevereiro. No entanto, as legendas se dividiram na disputa da presidência. Enquanto o SD está com Eduardo Cunha, as outras siglas resolveram lançar Delgado como um nome da oposição. O terceiro candidato é Arlindo Chinaglia (PT-SP), atual vice-presidente da Câmara.

"O Solidariedade apela aos partidos de oposição, inclusive ao senador Aécio Neves, para que rediscuta esta questão, com o objetivo de não se cometer o erro histórico de perder a oportunidade de trazer o PT, na sua representatividade na Mesa e nas Comissões da Câmara dos Deputados, para o tamanho que sua bancada das urnas: 13%", diz a nota assinada por Paulinho e Maia.

Leia a íntegra da nota:

"Nota à imprensa

O Solidariedade reafirma o apoio à candidatura do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à Presidência da Câmara, mas está pondo em discussão a sua participação no bloco que envolve PSDB, PSB, PPS e PV, para a eleição da Mesa, em função deste bloco estar apoiando a candidatura do dep. Júlio Delgado (PSB-MG).

Além de esta candidatura ser inviável, na opinião do partido, está se tornando linha auxiliar da candidatura do PT, inclusive com a divulgação de acordo mútuo entre os dois.

O Solidariedade apela aos partidos de oposição, inclusive ao senador Aécio Neves, para que rediscuta esta questão, com o objetivo de não se cometer o erro histórico de perder a oportunidade de trazer o PT, na sua representatividade na Mesa e nas Comissões da Câmara dos Deputados, para o tamanho que sua bancada das urnas: 13%.

Deputado Paulinho da Força
Deputado Arthur Maia
"

Mais sobre a eleição da Mesa Diretora

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!