Só dois deputados faltaram à votação do impeachment

Clarissa Garotinho (PR-RJ), que saiu de licença-maternidade na última semana e não foi substituída, e Aníbal Gomes (PMDB-CE), um dos investigados na Operação Lava Jato, foram os únicos a não votar

A Câmara esteve próxima de alcançar seu quórum máximo neste domingo (17). Dos 513 deputados, 511 marcaram presença na votação para abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Clarissa Garotinho (PR-RJ), que saiu de licença-maternidade na última semana e não foi substituída, e Aníbal Gomes (PMDB-CE), um dos investigados na Operação Lava Jato não registraram presença para votar.

Na prática, a ausência desses parlamentares favorece a presidente Dilma. A aprovação do parecer da comissão especial do impeachment depende do apoio de dois terços (342) dos 513 deputados. Até as 19h03, o painel de votação registrava 112 votos favoráveis à abertura do processo e 31 contrários. Houve três abstenções até o momento. O último a registrar presença foi o maranhense Aloizio Mendes (PTN).

Mais sobre impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!