Sérgio Moro decide soltar João Santana e Mônica Moura

Ambos foram presos na 23ª fase da Operação Lava Jato. Monica terá que pagar fiança de R$ 28,7 milhões e João Santana cerca de R$ 2,7 milhões - ambos valores já estão bloqueados pela Justiça

O marqueteiro da campanha de Dilma, João Santana, e sua esposa Mônica Moura serão soltos hoje (segunda, 1º) por decisão do juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Operação Lava Jato. O casal está preso desde 23 de fevereiro e deve deixar a prisão nas próximas horas.

Segundo as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF), Santana e Mônica receberam, entre 2012 e 2014, US$ 3 milhões de offshores ligadas à Odebrecht e US$ 4,5 milhões da Keppel Fels. O casal afirmou ao juiz federal Sérgio Moro, em depoimento na semana passada, que o valor recebido de Skornicki foi de caixa dois da campanha presidencial do PT em 2010.

Conforme a decisão de Moro, ficou estipulada a fiança de R$ 28,7 milhões para Monica Moura – montante que já estava bloqueado pela Justiça. Já João Santana, deverá pagar como fiança os valores bloqueados em suas contas correntes (cerca de R$ 2.756.426,95).

A prisão do casal foi substituída por medidas cautelares alternativas: proibição de deixar o país, proibição de manter contatos com outros envolvidos na Operação Lava Jato, comparecimento a todos os atos do processo e pagamento de fiança correspondente aos valores já bloqueados nas contas-correntes do casal. O publicitário e a esposa seguem réus do processo.

Para Sérgio Moro, ainda que não se exclua a possível responsabilidade criminal do casal, Monica Moura e João Santana estão em um nível inferior no esquema de corrupção.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!