Senadores vão ao STF pegar inquérito contra Demóstenes

Humberto Costa, Antônio Carlos Valadares e Vital do Rego pedirão a Ricardo Lewandowski o inteiro teor das investigações que ligam o senador goiano a Carlinhos Cachoeira

Os senadores Humberto Costa (PT-PE), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Vital do Rêgo (PMDB-PB) terão uma reunião no final da tarde de hoje (17) com o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski.

Humberto é o relator do processo de cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO); Valadares é o presidente do Conselho de Ética, e Vital o corregedor do Senado. Lewandowski é o relator no Supremo do processo contra Demóstenes. Os senadores pretendem pegar com o ministro o inquérito da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, para embasar o processo contra Demóstenes.

Leia outros destaques de hoje do Congresso em Foco

Numa primeira tentativa, Lewandowski negou o envio do inquérito. Essa foi uma das razões alegadas para a criação da CPI do Cachoeira, que investigará as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com o mundo político, no seu esquema de exploração ilegal do jogo. Lewandowski alegara que somente uma CPI poderia ter acesso ao processo.

Os senadores alegarão ao ministro que várias informações do processo vazam diariamente, e que já há várias pessoas que conhecem o seu inteiro teor. Somente o inquérito poderá definir exatamente o que se descobriu sobre o envolvimento do senador goiano com Cachoeira, para que Humberto Costa possa embasar seu relatório sobre o caso.

Instalado o processo, Demóstenes tem até o dia 25 de abril para apresentar a sua defesa. Depois, Humberto tem cinco dias úteis para apresentar seu relatório preliminar. Assim, se Demóstenes usar todo o prazo de que dispõe, Humberto tem até o dia 3 de maio. Se o ex-líder do DEM, porém, se adiantar, o relator terá também de fazer o mesmo.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo