Rose de Freitas é escolhida por Temer para liderar governo no Congresso

Senadora esteve afastada das atividades parlamentares desde o início de maio para tratar da saúde. Peemedebista foi um dos votos contra Dilma no processo de impeachment

A indicação da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) para ocupar a liderança do governo no Congresso conseguiu a proeza de unir senadores da oposição e da base aliada durante a sessão desta terça-feira (21). Representantes de diversas colorações partidárias se revezaram nos microfones do plenário para elogiar a primeira mulher líder de bancada escolhida pelo presidente interino Michel Temer.

O anúncio foi feito pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que abriu espaço no turno de votação de matérias para iniciar a sessão de loas em plenário. "Quero felicitar o presidente da República pela oportuna escolha. Todos os senadores, sem exceção, colaboram no dia a dia dos nossos trabalhos. Mas, com certeza, nenhum senador ou senadora colabora mais do que a senadora Rose de Freitas", discursou Renan.

Rose esteve afastada das atividades do Senado desde o início do mês de maio, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mesmo debilitada, com dificuldades na fala, a senadora fez questão de comparecer à votação que aprovou o afastamento da presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, Rose endossou os votos pró-impeachment.

"Fico feliz em vê-la inteiramente restabelecida, com a garra e a disposição de sempre, para assumir essa liderança que, seguramente, será um dos pilares da gestão Michel Temer aqui no Congresso Nacional. Parabéns ao presidente Michel Temer. Parabéns à senhora", disse o líder do governo no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP).

"A senadora Rose é sensata, é cordial, é articuladora de primeira linha, e eu tenho certeza de que teve o dedo também de Vossa Excelência, que conhece profundamente esta Casa e sabia que a escolha dela agradaria a todos os senadores e senadoras desta Casa", disse Lúcia Vânia (PSB-GO).

"Eu quero, registrando as nossas divergências com esse governo interino – todos sabem – e com a preocupação que nós temos com o momento político que vivemos, mas não é por isso que eu não posso deixar de cumprimentar a nossa querida senadora Rose de Freitas", afirmou Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

"Rose de Freitas tem sido uma aliada. Para nós é muito importante que ela seja líder. E mais, senhor presidente: eu tenho dito que talvez ela convença o que os outros não foram capazes de mostrar que é preciso ter ministras, é preciso ter mulheres no primeiro escalão porque nós, no Brasil, que temos pouca participação, caímos muito ainda com essa decisão", acrescentou a senadora.

A homenageada retribuiu os cumprimentos dos colegas. "Eu tenho agradecimentos a fazer. Primeiro a Deus por permitir essa nova oportunidade", declarou a senadora. "O Brasil sobretudo precisa que nós estejamos olhando numa só direção. Alguém disse assim: 'Mas a senhora ajudou tanto a presidente Dilma'. Eu ajudei tanto ao presidente Itamar. Eu ajudei tanto ao presidente Fernando Henrique. Eu ajudei ao meu país. Eu ajudei tanto ao presidente Lula. Porque é meu dever. Eu escolhi a vida pública. Na vida pública o partido tem importância, mas o seu país está acima de todas as outras importâncias que nós possamos julgar que possam construir barreiras", acrescentou.

Como líder do governo, juntamente com Aloysio Nunes no Senado e André Moura (PSC-SE) na Câmara, Rose será responsável pela articulação entre o Palácio do Planalto, a base aliada e os demais parlamentares em votações de projetos de interesse do Executivo.

Mais sobre legislativo brasileiro

Mais sobre gestão pública

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!