Senador desiste de candidatura à reeleição

Em nota, parlamentar diz que "integrantes de alguns partidos e determinadas lideranças" não agiram de forma ética e não se comportaram como aliados. Chapa encabeçada por Pedro Taques deve escolher substituto

O senador Jayme Campos (DEM-MT) anunciou ter retirado sua candidatura à reeleição. Ele concorreria pela chapa encabeçada pelo também senador Pedro Taques (PDT), candidato ao governo de Mato Grosso. Em nota divulgada ontem, Jayme alegou desconforto por causa da “falta de unidade” na coligação “Coragem e atitude pra mudar”, que agora deve definir um substituto.

“Em toda minha vida pública me pautei pelo princípio imprescindível da lealdade. Sempre fiz política valorizando os companheiros. E desta forma me empenhei para consolidar a composição política em torno do nome do senador Pedro Taques como candidato ao governo estadual e também dos candidatos a deputado estadual e federal. Mas, dentro desse arco de aliança, infelizmente a recíproca não foi verdadeira. Integrantes de alguns partidos e determinadas lideranças não agiram de forma ética e não se comportaram como aliados”, diz Jayme na nota, sem citar nomes.

O senador do DEM disse que, apesar de liderar as pesquisas de intenção de voto, “o bom senso indicou a necessidade de reavaliar o projeto de reeleição”. Ele estaria se sentindo desvalorizado – por exemplo, os prefeitos de Cuiabá e Rondonópolis, Mauro Mendes (PSB) e Percival Muniz (PPS), apoiam Taques, mas, para o Senado, teriam optado pelo deputado federal Wellington Fagundes (PR), que disputa cadeira no Senado pela coligação encabeçada por Lúdio Cabral, candidato petista ao governo mato-grossense.

A coligação "Coragem e atitude pra mudar" é formada por PDT, PP, DEM, PSDB, PSB, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB.

 

Mais sobre eleições 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!