Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

Senador cita coluna do Congresso em Foco na tribuna da Casa

Para o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) falta uma compreensão mais profunda da política que é feita hoje em dia. Coluna de Rudolfo Lago publicada hoje (27) é citada como exemplo positivo de análise

A recente crise no Ministério do Esporte é uma prova de que a democracia no Brasil está fragilizada. A opinião é do senador Cristovam Buarque (PDT-DF). Em discussão sobre a recente demissão no ministério do Esporte, sexta do governo Dilma Rousseff, o senador se mostrou preocupado com os rumos que a política nacional está seguindo. Para ele, falta um entendimento maior sobre o desenrolar dos fatos políticos. Ele citou, no entanto, como exemplo positivo da reflexão sobre a crise, a coluna do jornalista Rudolfo Lago publicada hoje (27) pelo Congresso em Foco sobre a ideia de que existe uma democracia com baixa qualidade no país.

"Esse é um conceito sociológico, que sai da superficialidade, importante, de quem paga dinheiro a quem; de quanto é transferido de uma conta do Governo para a ONG", afirmou no discurso. No texto publicado, Rudolfo Lago comenta estudo do professor americano Kurt Weyland, que levanta a ideia de que o Brasil tornou sustentável, de forma crescente, uma democracia de baixa qualidade, a partir da opção pelo que se chamou de presidencialismo de coalizão, a busca de maioria a partir de compromissos não ideológicos, de troca de favores.

"E dá para a gente perceber essa baixa qualidade que esse senhor chama de presidencialismo de coalizão, que é quase um presidencialismo imperial, comprado à base de cargos, à base de fechar os olhos para malfeitos", disse.

Em um aparte ao discurso, a senadora Ana Amélia (PP-RS) disse que concordava com os argumentos de Cristovam Buarque, mas que não acredita que o sistema de coalizão dos partidos seja um mal em si. "O mal é como a coalizão é feita, por que é feita, por quem é feita, quem integra essa coalizão. Então, aí é que está a questão a ser discutida, senador Cristovam Buarque. Talvez seja também uma preocupação da presidenta Dilma Rousseff nas substituições que tem feito no seu governo e na forma como ela tem agido. Não devem ser fáceis para a presidenta da República esses momentos de decisões tão complicadas", disse.

Cristovam encerrou seu discurso afirmando estar preocupado com a situação, mas contente em saber que existem pessoas que desejam ir além do entendimento superficial do dia-a-dia. "Fiquei preocupado, mas contente ao ler este artigo de hoje de Rudolfo Lago, pois percebi que tem gente começando a querer fazer uma análise mais do que apenas jornalística dos fatos que acontecem", disse.

Continuar lendo