Senado libera venda de inibidores de apetite proibidos pela Anvisa

Para a Anvisa, esses grupos de remédios emagrecedores apresentam risco à saúde superior aos seus benefícios e não há provas científicas de que os medicamentos são eficazes

O Senado aprovou, nesta terça-feira (2), projeto de decreto legislativo suspendendo resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e liberando o uso e a comercialização de inibidores de apetite. A proposta já foi aprovada pelos deputados.

De autoria do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), o projeto cancela os efeitos da resolução editada em 2011 para proibir o uso e a comercialização de medicamentos à base de anfepramona, femproporex e mazindol.

Para a Anvisa, esses grupos de remédios emagrecedores apresentam risco à saúde superior aos seus benefícios e não há provas científicas de que os medicamentos são eficazes. Projetos de decreto legislativo não precisam de sanção presidencial, por isso, o texto vai ser promulgado pelo Congresso após as eleições.

Líder do PT, o senador Humberto Costa (PE) argumentou que o tema não deveria ser tratado por meio de decreto legislativo, instrumento que, segundo ele, deve ser usado apenas quando um “ente” do poder Executivo extrapola a sua competência.

“Essa resolução da Anvisa não foi tirada do bolso do colete. Ela surgiu após estudos aprofundados e detalhados acerca desses medicamentos”, disse Humberto Costa, que é médico e ex-ministro da Saúde. Ele citou que há forte pressão da indústria de medicamentos a favor do projeto.

Relatora do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, Lúcia Vânia (PSDB-GO) afirmou que deu parecer favorável à liberação dos medicamentos após consultar uma série de especialistas, inclusive os da Anvisa.

 

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!