Senado flexibiliza porte e posse de armas de fogo na zona rural

O Senado aprovou na noite desta quarta-feira (26) dois projetos de lei que flexibilizam o porte e a posse de armas de fogo em propriedades rurais. Um dos projetos permite a proprietários rurais o porte em toda a extensão desses imóveis. Já o outro reduz de 25 para 21 anos a idade mínima permitida para a posse na área rural. Os textos seguem para análise da Câmara dos Deputados.

Decreto das armas ganhará texto alternativo no Senado. Veja os principais pontos

De autoria do senador Marcos Rogério (DEM/RO), o primeiro projeto tira uma dúvida existente em relação à legislação vigente atualmente, que não deixa claro se o proprietário rural que tem armas devidamente registradas pode portá-las em qualquer parte da sua propriedade ou apenas na sede do imóvel. O PL 3.715/2019, que opta por considerar toda a extensão da propriedade, portanto, foi aprovado sem dificuldades.

Já a segunda questão, que trata da idade em que é possível ter acesso ao porte de armas de fogo em áreas rurais, foi questionado. Alguns senadores pediram até mais tempo para apreciar o texto. Articulação da senadora Simone Tebet (MDB-MS), contudo, garantiu a votação e a aprovação do PLS 224/2017, que tem autoria do ex-senador Wilder Morais (DEM-GO) e define para moradores da zona rural critérios para posse de armas parecidos com os de caçador de subsistência.

“A posse na zona rural é imprescindível para as mulheres, crianças e trabalhadores do campo. Um projeto é complementar ao outro e precisamos dar uma satisfação ao morador do campo”, argumentou Tebet.

Veja quem votou contra e a favor do decreto das armas de Bolsonaro no Senado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!