Senado deve reduzir diretorias de 181 para sete

Mário Coelho


O presidente do Senado, José Sarney, anunciou agora há pouco que a Casa deve reduzir de 181 para sete o número de diretorias na estrutura funcional. A medida é uma das sugestões apresentadas no projeto de gestão elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) à pedido do próprio Sarney. Além disso, o plano prevê também a redução em 50% nos cargos de direção intermediária, uma diminuição em 30% na atual estrutura administrativa do Senado, e a redefinição da estrutura hierárquica da Casa.


As medidas, entretanto, não são imediatas. Segundo Sarney, elas devem ser aplicadas em 60 dias. Há dois meses, a FGV começou a analisar a estrutura funcional do Senado. O relatório apresentado na manhã desta terça-feira aponta que existem efetivamente 41 diretorias na Casa. Para chegar as 181 anunciadas, seria preciso somar 69 posições intermediárias e 71 cargos com status de diretor.


Devem permanecer apenas sete diretorias: Consultoria Legislativa, Consultoria de Orçamento, Secretaria de Comunicação Social, Secretaria Geral da Mesa, Diretoria Geral de Administração, Secretaria de Tecnologia e Unilegis. Mas isso pode mudar. Sarney vai deixar o projeto de gestão na internet por 30 dias, para receber sugestões de senadores e funcionários. Aí, seria necessário mais um mês para as sugestões serem incorporadas e o trabalho comece.


Segundo Sarney, a atual estrutura do Senado será reduzida em 30% agora, e em seis meses pode ultrapassar esse percentual. Para o senador, a medida é revolucionária. "Em poucos meses reduziremos 60% da estrutura atual. Alguns problemas que enfrentamos são vergonhosos, eu reconheço", afirmou.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!