Senado aumenta punição para exploração sexual contra crianças

Aprovado em caráter terminativo pela Comissão de Constituição e Justiça, projeto segue para análise da Câmara. Proposta estabelece pena de reclusão de seis a 12 anos

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (27), em caráter terminativo, o aumento da punição para quem explorar sexualmente crianças e adolescentes. O projeto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevendo a prisão de seis a 12 anos para o crime. A matéria agora segue para análise da Câmara, sem necessidade de passar pelo plenário.

Leia outros destaques de hoje no Congresso em Foco

Atualmente, o ECA estabelece a pena de quatro a dez anos de prisão para o acusado por exploração sexual de crianças e adolescentes. De acordo com o projeto, a ampliação da pena também valerá para quem facilitar ou estimular esses crimes pela internet. Outra novidade é a criação de uma parceria entre a União, os estados e os municípios para promoção de campanhas educativas de combate à exploração sexual e de iniciativas que ajudem na repressão a esse tipo de crime.

"Sem sombra de dúvida, esse é um tema extremamente importante, devendo ter prioridade na agenda nacional. Afinal, a violência sexual contra crianças e adolescentes, por ser ilegal, clandestina e silenciosa, dificulta a responsabilização dos agressores, principalmente quando há a conivência de donos de estabelecimentos", disse o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), relator do projeto na CCJ.

Aprovada em caráter terminativo, a proposta, de autoria do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), só passará pelo plenário do Senado caso haja um recurso elaborado por senadores. Na Câmara, será distribuído para as comissões de mérito e de análise formal.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!