Senado aprova obrigação de reconstrução de mama pelo SUS

Projeto garante acesso das mulheres a procedimentos de procedimentos corretivos em casos de de retirada de tumor nos seios. Texto segue para sanção presidencial

O plenário do Senado aprovou na noite desta terça-feira (26) um projeto de lei que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar a cirurgia plástica reparadora imediatamente após a retirada da mama, em casos de câncer. Aprovado em 7 de março do ano passado na Câmara, o texto segue para sanção presidencial.

Para a relatora da proposta, senadora Ana Amélia (PP-RS), a medida irá beneficiar principalmente as mulheres mais pobres. A senadora também comemorou a aprovação do texto, porque segundo ela, atualmente as cirurgias são adiadas indefinidamente no sistema público de saúde. Durante a tramitação na Câmara, deputados lembraram que, para a proposta ter efeito prático, é preciso reajustar a tabela de pagamentos do SUS.

Em caso de a cirurgia de reconstrução da mama não poder ser realizada logo após a retirada da mama,o projeto garante que o procedimento deverá ser feito assim que houver condições favoráveis.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) o câncer de mama é o segundo tipo de neoplasia maligna mais frequente no mundo, sendo o primeiro entre as mulheres. Em 2012, mais de 50 mil brasileiras desenvolveram a doença, segundo levantamento do órgão.

Curta o Congresso em Foco no Facebook
Siga o Congresso em Foco no Twitter

Com informações da Agência Senado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!