Senado aprova indicações para o comando da ANTT e do Dnit

Elisabeth Alves da Silva Braga assume a diretoria da Agência Nacional de Transporte Terrestre, enquanto Charles Magno Beniz será novo diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes

O Senado aprovou em plenário nesta quarta-feira (24) as indicações de Elisabeth Alves da Silva Braga para diretoria da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e de Charles Magno Beniz para diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Com 44 votos favoráveis, oito votos contrários e duas abstenções, o nome de Elisabeth foi aprovado para assumir a diretoria. Com 51 anos, a diretora é graduada em ciências econômicas pela Universidade Centro de Ensino Unificado de Brasília (Uniceub). Com 32 anos de serviço público, Elisabeth é servidora de carreira do ciclo de gestão no cargo de Analista de Planejamento e Orçamento do quadro permanente do Ministério do Planejamento.

Charles recebeu parecer favorável de 45 senadores. Nove se posicionaram contra a  indicação e dois registraram abstenções. Com 37 anos, Charles é graduado em engenharia civil pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Iniciou sua experiência no setor ferroviário em 2009, na função de engenheiro fiscal da Ferrovia Norte-Sul, exercida na Valec S.A. Desde maio deste ano, é gerente de Manutenção Ferroviária naquela estatal.

Durante a sabatina dos indicados, senadores dedicaram maior parte do tempo para cobrar do governo federal, do Dnit e a ANTT a finalização de obras que se arrastam por décadas. Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) citou como exemplo a ferrovia Transnordestina. Já o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) lembrou que a Ferrovia Norte-Sul começou no governo Sarney e até hoje não foi finalizada. Para comparar, ele lembrou que os chineses conseguiram concluir, após dois anos e sete meses de obra, uma ponte de 32 quilômetros mar adentro num porto de Xangai, na China.

Valdir Raupp (PMDB-RO), por sua vez, cobrou a duplicação da BR-364, entre as cidades de Comodoro e Porto Velho, por onde, segundo ele, circulam 1,2 mil carretas de soja por dia. Flexa Ribeiro (PSDB-PA) pediu prioridade para a Santarém-Cuiabá. E Ricardo Ferraço (PSDB-ES) questionou o fato de 90% do orçamento do Dnit serem destinados ao ramal rodoviário. Ele indagou se haveria necessidade de uma diretoria de Infraestrutura Ferroviária dentro do departamento. Ferraço lembrou que, na prática, a entidade tem atuação irrelevante no setor.

Charles Magno Beniz, admitiu a limitação da autarquia, que, segundo ele, tem se dedicado a atuar em projetos de contornos ferroviários, retirando as estradas de ferro de dentro de cidades. Ainda assim, segundo ele, muitas das obras estão paralisadas.

Mais sobre gestão pública

Mais sobre infraestrutura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!