Sem ministro, governo nomeia olavista para o Conselho Nacional de Educação

A nova composição do Conselho Nacional de Educação (CNE), publicada nesta sexta-feira (10), traz um nome ligado ao escritor Olavo de Carvalho: Tiago Tondinelli, que foi aluno do escritor e chefe de gabinete do ex-ministro da Educação Ricardo Velez Rodriguez. Tondinelli é um dos sete nomeados para compor a Câmara de Educação Básica. A duração do mandato é de quatro anos, portanto, além do atual mandato do presidente Jair Bolsonaro.

Secretários criticam composição do novo Conselho Nacional de Educação

Além de Tondinelli, outro nome associado aos olavistas é o de Gabriel Giannattasio, professor de história da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Em artigo, Giannattasio, que nega ser bolsonarista ou olavista, já disse ser “impossível ignorar a importância do filósofo da Virgínia na cena cultural brasileira”.

Também nomeado, o professor de física da Universidade de Brasília (UnB) Wiliam Ferreira da Cunha foi assessor do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim. Outros acadêmicos escolhidos foram o professor da Escola de Ciências da Saúde da PUC-RS Augusto Buchweitz e o professor de psicologia da Universidade de São Paulo (USP) Fernando Cesar Capovilla, um dos expoentes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Empresários também foram nomeados, são eles: a professora de matemática e presidente do Grupo Educacional Dromos, Amábile Aparecida Pacios, e o diretor-geral da Rede Batista de Educação, Valseni José Pereira Braga.

O educador físico e doutor em Ciências Fisiológicas pela Sociedade Brasileira de Fisiologia Anderson Luiz Bezerra da Silveira será conselheiro da Câmara de Educação Superior. Outro indicado para conselheiro é um dos cotados para assumir a vaga de ministro da Educação, o reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), Aristides Cimadon. O reitor se reuniu com o presidente no Palácio do Planalto na semana passada.

Também passarão a compor a Câmara de Educação Superior um dono de universidade e um ministro do Superior Tribunal Militar (STM). Wilson de Matos Silva é proprietário e reitor do Centro Universitário Cesumar. Ele foi suplente do senador Alvaro Dias (Podemos-PR) e assumiu o cargo no Senado em curtos períodos em 2007 e em 2014. Wilson é filiado ao PSDB. Já o representante do órgão militar é José Barroso Filho, que foi juiz auditor da Justiça Militar.

A lista de nomes havia sido deixada pelo último comandante da pasta, Abraham Weintraub, segundo informações da Folha de S.Paulo. O jornal afirma que Weintraub enviou a lista para homologação da Casa Civil um dia antes de ser demitido e foi uma forma de manter seu posicionamento nas políticas educacionais. A lista preparada por Weintraub não foi aceita integralmente, mas parcela dela foi acatada pelo presidente na escolha dos nomes.

Maia e Davi dão ultimato ao governo para reforma tributária

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!