Brasil não conseguirá diminuir inflação sem o ajuste fiscal, diz Levy

Ministro da Fazenda afirma que economia brasileira está se restabelecendo, mas que ajustes são fundamentais para que crise seja superada

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta segunda-feira (7), ao jornal Folha de S. Paulo, que dificilmente o Brasil conseguirá diminuir a inflação e a taxa de juros caso os entraves fiscais não sejam corridos o mais rápido possível.

“Se a gente não fizer isso, tudo vai ficar mais difícil”, disse Levy à reportagem da Folha,em Madri. “O principal para a gente ter um começo de 2016 vendo um processo de queda de juros, inflação convergindo e as condições para as pessoas quererem investir é resolver agora a questão fiscal”, complementou o ministro.

Levy está na Espanha, onde participou de um seminário com o ministro de Economia, Luiz de Guindos, sobre estímulos à economia brasileira organizado pelo jornal El País. O seminário foi realizado para empresários e investidores espanhóis.

Durante o evento, o ministro da Fazenda defendeu o ajuste fiscal e disse que a economia brasileira está se restabelecendo. Na semana passada, o governo federal entregou um Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) com déficit fiscal de R$ 30,5 bilhões. Levy tenta aumentar os cortes públicos e criar um novo tributo para atenuar esse déficit. Entretanto, ele vem sofrendo resistências de ministros como Nelson Barbosa (Planejamento) e Aloizio Mercadante (Casa Civil).

 

Confira a matéria na íntegra

Mais sobre ajuste fiscal

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!