Secretário da Fazenda do Distrito Federal pede exoneração

Leonardo Colombini assumirá cargo de consultor no Banco de Brasília. Em nove meses de gestão, esta é a quinta mudança no secretariado do governador Rodrigo Rollemberg

Luma Poletti

O secretário da Fazenda do Distrito Federal, Leonardo Mauricio Colombini Lima, pediu exoneração na noite desta segunda-feira (31). Ele havia sido indicado pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e assumirá o cargo de consultor do Banco de Brasília (BRB). Colombini é o quinto secretário a deixar o governo, menos de uma semana depois do pedido de exoneração do secretário do Trabalho e do Empreendedorismo, Georges Michel Sobrinho.

Desde o início de sua gestão, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) teve de administrar cinco mudanças nos quadros do governo. Além de Colombini e Sobrinho, João Batista de Sousa, Hélio Doyle e Luiz Paulo Vogel deixaram, respectivamente, o comando das pastas da Saúde, da Casa Civil e de Gestão Administrativa, respectivamente.

No lugar dos que saíram, assumiram as pastas: Thiago Jarjour, na Secretaria do Trabalho e do Empreendedorismo; Pedro Meneguetti na Secretaria da Fazenda; Sérgio Sampaio na Casa Civil; Alexandre Ribeiro Pereira Lopes na Secretaria de Gestão Administrativa; e Fábio Gondim na Saúde.

Protesto de terceirizados

Além da instabilidade política, o GDF também enfrenta uma grave crise financeira. Servidores terceirizados do governo protestaram ontem contra salários atrasados durante audiência pública na Câmara Legislativa. Representantes do governo não compareceram à audiência, que discutiu o desrespeito do governo com seus funcionários terceirizados.

Ao final da audiência, o deputado distrital Chico Vigilante (PT) apresentou um requerimento de convocação dos secretários de Fazenda e de Planejamento para prestar informações sobre o cronograma de pagamento aos terceirizados.

Mais sobre o GDF

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!