Sarney nega tratamento diferenciado para PMDB

Presidente do Senado afirma que governo age com a mesma “orientação” em relação às denúncias envolvendo os ministérios dos Transportes, sob comando do PR, e da Agricultura, gestão PMDB

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta terça-feira (2) que o governo está agindo com a mesma “orientação” em relação às denúncias de corrupção envolvendo os ministérios dos Transportes, comandado pelo PR, e da Agricultura, administrado pelo PMDB. Em coletiva na tarde de hoje, Sarney negou que haja “tratamento diferenciado” para os partidos da base. "Acho que é orientação igual que cobra a presidenta", disse Sarney. No último fim de semana, denúncias feitas por Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), apontaram irregularidades no Ministério da Agricultura, comandado pelo peemedebista Wagner Rossi. As denúncias vieram em meio a uma crise, que resultou no afastamento do ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento. Ao falar sobre o caso de Jucá Neto, o presidente do Senado comentou que “parentes sempre criam problemas” e minimizou o episódio. “O líder Jucá pediu desculpas. A nível político, se encerra esse episódio”, disse Sarney. “Todas as denúncias, o governo deve mandar apurar, e, comprovadas, o governo deve punir”. Ex-diretor da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Jucazinho, como é conhecido, afirmou, em entrevista à revista Veja, que existe um esquema de corrupção envolvendo o ministro da pasta, Wagner Rossi. Segundo o ex-diretor, o PMDB, partido do ministro e do líder do governo no Senado, tem transformado o ministério em um “central de negócios”.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!