Saída de Cunha dá “tranquilidade” ao Conselho de Ética, diz presidente

Presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo acredita que colegiado terá mais tranquilidade para decidir cassação de Cunha, "sem os sobressaltos das manobras utilizadas pelo deputado"

O presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), disse que a decisão liminar do ministro Teori Zavascki de afastar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara e do exercício de seu mandato na Casa não influencia no processo contra o peemedebista no colegiado. Segundo ele, o Conselho de Ética vai trabalhar "com mais tranquilidade" e "sem os sobressaltos das manobras utilizadas pelo deputado". O processo contra Cunha é o mais arrastado da história da Câmara. Foi iniciado há seis meses.

O presidente do colegiado afirmou não ter ficado satisfeito com a decisão, pois, para ele, demonstra que a Casa está "se apequenando". "Precisa que o Supremo Tribunal Federal tome uma decisão por nós, e isso é realmente muito triste", declarou. De acordo com Araújo, os parlamentares não estão dando "bom exemplo".

Questionado se o novo fato pode alterar o placar de votação no conselho, retirando votos a favor de Cunha, Araújo preferiu não arriscar. "Eu não sei, aí vai da consciência de cada um", disse o deputado.

Assista ao vídeo da entrevista concedida por José Carlos Araújo ao Congresso em Foco:

Mais sobre Eduardo Cunha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!