Romário volta à tribuna do Senado após cirurgia e defende combate à diabetes

Senador diz que será o porta-voz dos diabéticos no parlamento brasileiro e contesta que cirurgia a que se submeteu seja "experimental"

Waldemir Barreto/Agência Senado

 

O senador Romário (PSB-RJ) voltou à tribuna do Senado Federal depois da polêmica cirurgia que fez o ex-jogador perder mais de 10 quilos. O procedimento, chamado gastrectomia vertical com interposição ileal, foi a saída encontrada pelos médicos de Romário para conter o diabetes do parlamentar. Segundo o relato, a taxa de glicemia dele, que chegou a 400, hoje está em 90.

Em seu discurso, de pouco mais de cinco minutos, Romário saiu em defesa do procedimento cirúrgico a que foi submetido e se comprometeu a lutar pelos diabéticos no parlamento brasileiro. "Não sou profissional da Medicina e só posso falar por mim mesmo, mas os resultados que alcancei me transformaram em porta-voz dessa causa", disse. "Defendo que o Sistema Único de Saúde, o SUS, disponibilize essa cirurgia de forma gratuita a todos os brasileiros", completou.

Para Romário, o fato de a cirurgia ser considerada experimental atrapalha no tratamento da diabetes e beneficia apenas as seguradoras e planos de saúde – que não são obrigadas a pagar pelo procedimento. "Vale lembrar que o transplante de fígado foi, por quase vinte anos, considerado experimental, gerando as mesmas dificuldades para quem precisava da cirurgia", ressaltou.

"Minha história [com a diabetes] tem um resultado feliz, mas que, infelizmente, não está disponível a todos", protestou o ex-jogador. "Sei que muita coisa entra em jogo quando falamos em curar pessoas, que vão parar de tomar remédios caros. Não deveria ser assim, mas existem interesses econômicos envolvidos", indicou.

O parlamentar apresentou um estudo recente da Organização Mundial de Saúde que apontou que mais de 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes, o que equivale a 8,1% da população. Segundo Romário, a doença mata 72 mil pessoas por ano no Brasil e responde por 70% dos casos de amputação. "O Brasil é hoje o quarto país com mais casos de diabetes no mundo", lembrou.

"Estamos falando de uma gravíssima questão de saúde pública", alertou Romário. "Apenas em 2015, o Sistema Único de Saúde gastou R$ 92 milhões com internações causadas pelo diabetes", concluiu.

Assista ao discurso de Romário:

 

Mais sobre saúde

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!