Romário é confirmado para presidir Comissão de Educação do Senado

Petista Paulo Paim presidirá Comissão de Direitos Humanos pela terceira vez. Cristovam Buarque comandará Comissão de Ciência e Tecnologia. Veja outras definições

Como já havia sido anunciado na última semana, o senador Romário (PSB-RJ) vai ser confirmado amanhã (quarta, 4) como presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado no biênio 2015-2016. A solenidade de instalação e eleição do comando do colegiado está prevista para as 14h, quando o nome do parlamentar fluminense será definido no posto por aclamação. Na ocasião, também será escolhido o vice-presidente da CE.

Outros nomes foram escolhidos nesta terça-feira (3) para comandar comissões temáticas do Senado. Cristovam Buarque (PDTF-DF) comandará a Comissão de Ciência e Tecnologia para os próximos dois anos. O vice-presidente do colegiado será escolhido em reunião marcada para a próxima terça-feira (10).

Já o petista Paulo Paim (RS) presidirá, pela terceira vez não consecutiva, a Comissão de Direitos Humanos, até então comandada pela senadora Ana Rita (PT-ES), homenageada por Paim na sessão de transferência do posto. O vice será escolhido na próxima quinta-feira (5).

Por sua vez, Otto Alencar (PSD-BA), novato no Senado, foi eleito por aclamação para o comando da Comissão de Meio Ambiente (CMA), com Ataídes Oliveira (PSDB-TO) escolhido para a vice-presidência. Já na sessão de eleição, os membros do colegiado aprovaram requerimento para discutir o tema da revitalização do Rio São Francisco com os governadores de Minas Gerais, Sergipe, Alagoas, Bahia e Pernambuco.

Além da demanda aprovada, houve um rápido desentendimento provocado na sessão desta terça-feira. Vice-presidente do Senado, Jorge Vianna (PT-AC) sugeriu que a escolha do vice-presidente da CMA fosse adiada para a próxima semana, com a presença de mais senadores. Líder do PSDB, Cássio Cunha Lima (PB) recusou a ideia. “Ficou acertado que não iríamos discutir nome a nome para as vice-presidências, porque já havíamos feito o acordo no fundamental, que eram as presidências”, rebateu o tucano.

Pendências

Ao todo, são 11 as comissões temáticas tradicionais do Senado – a Casa também repune a Comissão Senado do Futuro e outros dois colegiados específicos, o Conselho de Ética e a Corregedoria – ambos devem ficar para a livre escolha do PMDB, por ser o maior partido (18 senadores), segundo o critério da proporcionalidade. Ainda resta a definição dos postos de comando para as comissões de Desenvolvimento Regional; Assuntos Sociais; Agricultura; Serviços de Infraestrutura; e Senado do Futuro.

Para a Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante da Casa, o PMDB deve escolher entre os nomes do ex-ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (MA), e o senador José Maranhão (PB). Também cotado para presidir o colegiado, o ex-ministro da Previdência, Garibaldi Alves (RN), diz que está fora da disputa.

Já a Comissão de  Assuntos Econômicos, outra comissão cobiçada no Senado, ficará para um senador do PT. Gleisi Hoffmann (PR) e Delcídio do Amaral (MS) disputam a indicação da legenda, que promete a definição para os próximos dias.

Com as definições para algumas comissões, o Senado deve funcionar plenamente a partir das próximas semanas, embora ainda haja na Casa um certo mal-estar em relação à escolha da Mesa Diretora, que alijou a oposição de todos os cargos de comando.  As disputas elevaram a tensão entre base e oposição a ponto de o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), ter recorrido ao Supremo Tribunal Federal pedindo a dissolução do colegiado.

Mais sobre a Mesa Diretora

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!