Romário admite ter bebido champanhe antes de dirigir

Deputado conta que, mesmo que não tivesse consumido bebida alcoólica, teria se recusado a soprar o bafômetro por entender que este é um direito de qualquer cidadão. Ele reafirma que não havia bebido nas outras duas vezes em que foi autuado em blitz da Lei Seca

O deputado Romário (PSB-RJ) admitiu ter bebido champanhe antes de dirigir no último sábado (1º), quando foi parado numa blitz da Operação Lei Seca no Rio. O ex-craque da seleção brasileira se recusou a fazer o teste do bafômetro, teve a carteira de habilitação suspensa e perdeu sete pontos no documento. Também terá de pagar uma multa de R$ 1.915,40. Em conversa com a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o parlamentar disse que raramente bebe e que rejeitou o teste por entender que este é um direito que a lei lhe garante, como a qualquer cidadão. Ele contou que tomou poucas taças e que acreditava que o aparelho nem indicaria o consumo da bebida.

Esta foi a terceira autuação do “baixinho” por se recusar a soprar o bafômetro. Nas outras duas oportunidades, março de 2010 e julho de 2011, Romário garante que não havia consumido qualquer substância alcoólica. Segundo a jornalista, ele disse que, mesmo que não tivesse bebido nada desta vez, também teria se negado a fazer o teste.

Garoto-propaganda de uma cervejaria, o ex-atleta ainda não comentou o assunto publicamente. Do camarote da Devassa, ele escreveu na última madrugada: “Esse é o nosso Carnaval. Se beber não dirija!!!”

De acordo com a Secretaria de Estado do Governo do Rio de Janeiro, o ex-craque da seleção brasileira foi parado numa blitz na autoestrada Lagoa-Barra, no Rio. O veículo foi liberado depois que outra pessoa habilitada, indicada pelo parlamentar, apresentou-se para conduzi-lo.

Outros textos sobre Lei Seca

Mais sobre Romário

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!