Rosso atropela o Planalto e já faz campanha para presidir a Câmara

Líder do PSD envia carta a deputados questionando melhor horário para encerrar votações, antecipando disputa pelo comando da Casa, marcada para fevereiro. Planalto prefere manter Rodrigo Maia, mas possibilidade lega de reeleição ainda é incerta

 

 

 

Depois de divulgar uma carta aos colegas (veja a íntegra abaixo) em que se apresenta como candidato à Presidência da Câmara sem dizer oficialmente que vai concorrer, o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), começou a trabalhar nessa segunda-feira (7) para reafirmar sua candidatura. Ele enviou aos demais deputados uma mensagem via SMS com uma consulta sobre o horário em que as sessões devem ser encerradas em dias sem urgência de votações. Parece uma pergunta singela e de cunho administrativo. Mas, na verdade, toca em um assunto caro para os parlamentares: a organização das votações para evitar que as sessões entrem pela madrugada. O PSD faz parte da base do governo Temer e tem até ministério, o de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, comandado pelo fundador do partido, Gilberto Kassab.

Ao começar a trabalhar para se viabilizar como candidato ao cargo que, na prática, é de vice-presidente da República, por ser o primeiro na linha sucessória de Michel Temer, Rosso atropela o Palácio do Planalto. Discute-se entre os líderes de partidos da base aliada ao governo a alteração legal e regimental do funcionamento da Câmara para permitir que o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), possa concorrer novamente. Atualmente, a lei impede que o presidente da Casa possa se reeleger dentro da mesma legislatura, mas a alteração legal está sendo discutida por Temer e seus auxiliares.

Ao votar e aprovar propostas do governo para o ajuste fiscal, como a que limita os gastos públicos por 20 anos, Maia passou a ser um nome de confiança do Planalto. A agenda do presidente da Câmara passou a ser definida em comum acordo com Temer e os principais líderes governistas no Congresso.  Com esse cacife, o deputado do DEM passou a ser um nome que poderia continuar no cargo, do ponto de vista do Planalto.

Centrão

Em julho, Rosso foi candidato à sucessão do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e perdeu a disputa para Rodrigo Maia. Na primeira rodada de votações, o candidato do PSD recebeu 106 votos, contra 120 do colega do DEM. Na votação final, porém, Maia conseguiu o apoio de petistas e aliados e venceu a disputa por 285 a 170 votos. Agora, Rogério Rosso tenta se antecipar a outras candidaturas para se firmar como o nome do chamado “centrão”, grupo formado por legendas como PP, PRB, PSC, PR e PTB, além do próprio PSD. Faz parte desse mesmo bloco o líder do PTB, Jovair Arantes (GO). Com o apoio do então presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os dois comandaram a comissão especial do impeachment: Rosso foi o presidente, e Jovair, o relator.

A aliança agora está sob ameaça. O petebista também é candidato ao lugar de Rodrigo Maia, mas ainda não lançou candidatura. “Tenho interesse em ser candidato para ajudar o país a fazer as reformas de que precisa, como a da Previdência e a tributária, e sair dessa crise”, disse Jovair. Ele não considera que Rosso se antecipou ao processo, mesmo tendo lançado o nome três meses antes da eleição, marcada para o dia 2 de fevereiro de 2017.

A candidatura do deputado do PSD também depende das negociações entre Temer, PMDB, DEM e PSDB. Os tucanos ensaiam lançar o nome do líder da bancada na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), para o lugar de Maia. Mas todas essas disputas pelo poder da máquina legislativa envolvem as articulações para a sucessão do próprio Temer em 2018.

Leia a íntegra da carta de Rogério Rosso aos colegas:

“Primeiramente receba o nosso fraternal abraço.

Hoje inicia-se o mês de Novembro e daqui a exatos 90 dias teremos a importante e histórica eleição da Mesa que conduzirá os trabalhos da Câmara dos Deputados para o biênio 2017/2018 desta 55ª Legislatura da qual tenho a honra de participar ao lado de Vossa Excelência e dos nossos Pares.

Nesses quase dois anos de respeitoso convívio, já ficou muito claro para mim o quanto digno e gratificante é exercer nossa atividade parlamentar e podermos juntos contribuir para a melhoria da qualidade de vida da nossa população e para o desenvolvimento das nossas cidades, Estados e do nosso fantástico Brasil.

A Câmara dos Deputados é um dos pilares da nossa democracia representativa e precisamos sempre permanecer com uma estrutura sólida e capaz de resistir às tempestades que ameace [sic] sua sustentação e a edificação altiva da nossa Nação.

Estamos passando no Brasil por momentos repletos de desafios e que estão sendo superados devido ao amplo e livre debate de ideias estabelecido na Casa. Foi com essa diversidade de pensamento que avançamos através das adversidades que estavam no caminho.

Destaco recentemente o comportamento propositivo da Casa, que, com maturidade e desprendimento, elegeu num momento difícil seu novo Presidente para dar continuidade aos trabalhos do primeiro biênio 2015/2016. Ressalto aqui nosso apreço, confiança e amizade ao presidente Rodrigo Maia, que vem conduzindo com maestria e equilíbrio os trabalhos na Casa.

Sabemos que os próximos anos serão ainda mais desafiadores. Precisaremos de ainda mais firmeza e união para ajudar a reequilibrar o País e para mostrar à população que a classe política está ao seu lado e que somos seus aliados. Será necessário trabalho redobrado para restabelecer a imagem de tão austera e honrada instituição que é a Câmara dos Deputados.

Precisamos escolher com segurança, objetividade, diálogo e transparência os nossos representantes que irão compor a nova Mesa Diretora e que devem estar preparados e capacitados para lidar com as legítimas demandas da sociedade, bem como dar prosseguimento ao conjunto de reformas e projetos fundamentais para que o Brasil possa voltar a crescer. A coragem para mudar, modernizar e enfrentar adversidades deverá estar presente e a valorização da ação parlamentar deve ser uma constante.

Tenho certeza de que Vossa Excelência carrega as mesmas preocupações que as minhas neste momento e que juntos saberemos construir os melhores caminhos do entendimento, do diálogo e da conciliação em prol do povo brasileiro.

Convido Vossa Excelência para essa importante reflexão.

Com toda estima e amizade,

Rogério Rosso”

Mais sobre Legislativo em crise

Mais sobre crise na base

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!