Robinson e Fábio Faria dizem que repasse da JBS foi doação eleitoral

Pai e filho, governador e deputado federal chamam de "absurdas" declarações do delator Ricardo Saud de que repassou R$ 10 milhões à dupla em troca de privatização da companhia de água no Rio Grande do Norte

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), e o deputado Fábio Faria (PSD-RN) classificaram como “absurdas” as declarações do diretor de Relações Institucionais da J&F, Ricardo Saud, de que repassou R$ 10 milhões em propina para eles. Em nota ao Congresso em Foco, os dois afirmam que receberam apenas doações legais do grupo e negam qualquer vínculo com o advogado Erick Pereira, apontado pelo delator como intermediário de parte do repasse.

Robinson e Fábio também negam que tenham prometido privatizar a Companhia de Águas. Segundo Saud, essa era a contrapartida prometida em troca do dinheiro. “Importante ressaltar que, desde a campanha eleitoral, o governador tem destacado em inúmeras declarações públicas e entrevistas que não pretende e nem irá privatizar a Companhia de Águas. Questão crucial e que, por si só, desconstrói  a falsa imputação de uma privatização que nunca foi cogitada”, dizem o governador e o deputado.

Veja a íntegra da nota:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre a citação do governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria e do deputado federal Fábio Faria na delação da JBS, é preciso esclarecer os seguintes pontos:

1 - Ambos informam que conheceram a JBS no período eleitoral e confirmam que receberam  doações da empresa citada, somente durante o período de eleições, oficialmente, legalmente, devidamente registradas na Justiça Eleitoral e sem qualquer contrapartida nem ato de ofício;

2 - Não existia, da parte de Robinson e Fábio, qualquer motivo para que houvesse desconfiança em relação à origem da doação feita por meio de contatos do PSD Nacional;

3 - É importante ressaltar que, desde a campanha eleitoral, o governador tem destacado em inúmeras declarações públicas e entrevistas que não pretende e nem irá privatizar a Companhia de Águas. Questão crucial e que, por si só, desconstrói  a falsa imputação de uma privatização que nunca foi cogitada.

Por fim, Robinson e Fábio consideram absurdas as declarações do delator que  chama de propina contribuições eleitorais lícitas, com o claro objetivo de se livrar de crimes graves praticados. O deputado não tem nenhum tipo de sociedade com o advogado Erick Pereira. Na campanha de 2014, sua assessoria jurídica  foi desempenhada pelo escritório Fábio Sena Advogados S/C.

Robinson Faria, governador do RN

Fábio Faria, deputado federal pelo RN”

Delator diz que usou contrato fictício com filho de ministro para pagar propina a governador e deputado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!