Renato Janine vai priorizar metas do Plano Nacional de Educação

Brasil atende a 27,9% das crianças em creches. Objetivo é atender a pelo menos 50% nos próximos dez anos. Além da educação infantil, há também metas para pós-graduação e valorização de professores

Cumprir as metas do Plano Nacional de Educação (PNE) será uma das prioridades de Renato Janine Ribeiro no Ministério da Educação (MEC). Durante a cerimônia de transmissão de cargo, o novo ministro destacou a educação infantil como uma dessas metas. "Devemos pensar nas crianças, no futuro daqueles que, daqui a meio século, estarão em nossos lugares."

Atualmente, o Brasil atende a 27,9% das crianças em creches. A meta do PNE é atender a pelo menos 50% nos próximos dez anos. Além da educação infantil, o PNE estabelece  metas para a pós-graduação, passando pela formação e valorização de professores. As metas devem ser cumpridas em um prazo máximo de dez anos.

Renato Janine, que recebeu do ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa, o cargo ocupado até março pelo ex-governador do Ceará Cid Gomes, comprometeu-se a elevar a capacidade das universidades e institutos federais e, no ensino básico, a dar ênfase às creches, que atendem a crianças até 3 anos. "Chegou a hora de converter em realidade o bordão repetitivo de que a solução de boa parte dos nossos problemas está na educação. Isso requer a responsabilidade de cada um."

"O projeto que representamos é altamente inclusivo. As convergências em torno da educação são maiores que as divergências. As divergências existem, mas não podemos deixar que prevaleçam sobre as metas que a sociedade inteira elegeu", destacou.

O novo ministro agradeceu à presidenta Dilma Rousseff a decisão de não cortar verbas de programas essenciais do MEC e disse que a pasta dará sua contribuição aos ajustes econômicos. A economia começa pelos próprios servidores do órgão. Segundo ele, há no prédio do ministério avisos para  economizar com eletricidade e com impressões, por exemplo.

Renato Janine também falou sobre o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). que passaram por problemas. "Dois excelentes programas, mas que recentemente tiveram problemas, que foram sanados. Devemos ter cuidado para que não se repitam", disse ele.

O novo ministro anunciou os nomes de dois novos colaboradores para as secretarias que estavam sendo ocupadas  interinamente. O reitor da Universidade Federal do Ceará, Jesualdo Farias, assume a Secretaria de Educação Superior e o reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Paulo Nacif, comandará a de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão.

A cerimônia de transmissão de cargo teve a presença de parlamentares, ministros, secretários do MEC e presidentes das autarquias e reitores.

Mais sobre Plano Nacional de Educação

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!