Reforma política: Cunha desrespeitou comissão especial, diz relator

“Nosso trabalho vai ser substituído pro um relator de Plenário que vai fazer em cinco minutos aquilo que nos fizemos em três meses”, criticou Marcelo Castro

O relator da Comissão Especial da reforma política, Marcelo Castro (PMDB-PI), classificou como “desrespeito” a decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de levar o tema diretamente a votação em Plenário.

Estava prevista para esta segunda-feira (25) a sessão da Comissão Especial que iria discutir o relatório a ser encaminhado ao Plenário. Mas a sessão foi cancelada. Cunha determinou que a reforma política fosse votada diretamente pelo Plenário alegando que isso facilitaria a votação. Com a manobra, Cunha inutilizou o relatório da Comissão Especial que nem chegou a ser apreciado.

“Eu acho uma completa falta de respeito (a decisão de Cunha). Não ao relator em sim, mas ao relator e aos 68 membros da Comissão”, disse Marcelo Castro. “Quer dizer, o trabalho nosso vai ser substituído pro um relator de Plenário que vai fazer em cinco minutos aquilo que nos fizemos em três meses”, declarou.

O relator da matéria em Plenário será o presidente da Comissão, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para Castro, o relator da matéria que será apreciada pelos deputados terá que “ser um submisso ao presidente da Casa”. “Se o presidente tem algo contrário à mim é o fato de que eu não seria submisso a ele e não seria a ninguém. Só sou submisso aos interesses do meu país e nada mais”, complementou Castro.

 

Saiba mais sobre a reforma política

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!