Rede pressiona TSE por validação de assinaturas

Marina Silva e integrantes do novo partido pediram pressa ao Tribunal Superior Eleitoral. Para concorrer em 2014, legenda precisa de registro autorizado até outubro

Os integrantes da Rede Sustentabilidade foram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta sexta-feira (16) na tentativa de acelerar a análise das assinaturas necessárias para a formação de um novo partido. Para uma nova legenda ser criada, é preciso colher 491 mil assinaturas em pelo menos nove estados da federação. A Rede anunciou ter conseguido 850 mil. Além disso, para participar das eleições de 2014, o TSE precisa autorizar até outubro.

A ex-senadora Marina Silva, o deputado Walter Feldmann (PSDB-SP) e o advogado André Lima participaram de uma reunião com a corregedora do TSE, ministra Laurita Vaz. Eles questionaram o fato de a Rede ter entregue mais de 500 mil assinaturas e apenas 20% delas foram analisadas. A justificativa do tribunal é que os cartórios, responsável pela verificação, trabalham acima da capacidade por causa do recadastramento biométrico.

"Nós estamos aguardando que a corregedoria faça esse encaminhamento e ao mesmo tempo estamos confiantes que o processo que fizemos tem toda a idoneidade e estamos muito confiantes na estrutura que criamos para coletar as assinaturas, a integridade dessas assinaturas e o processo que foi feito no Brasil inteiro. (...) Não podemos pagar o preço pelas dificuldades que existem na Justiça", afirmou Marina.

Para a ex-senadora, que disputou a eleição presidencial em 2010 e obteve 20 milhões de votos, a demora na verificação das assinaturas levaria a um prejuízo que a Rede não poderia ter. Ela é pré-candidata em 2014, mas precisa estar filiado a um partido para concorrer. "Precisamos que medidas sejam tomadas para que esse atraso na ação dos contratos seja reparado", completou. Até o momento, foram colhidas 850 mil apoios. Destes 641 mil foram enviados aos cartórios. Somente 250 mil acabaram validados. Pela legislação, a corte tem 15 dias para validar ou rejeitar as listas.

De acordo com o advogado que defende os interesses da futura legenda, apesar de as assinaturas não terem sido conferidas, a Rede vai entrar com o pedido de inscrição no TSE. Ele garante já ter 11 diretórios estaduais encaminhados com o mínimo de apoios necessário. "[O problema] é falta de parâmetro pra conferir assinaturas, perda do prazo por parte deles", disse André Lima.

Mais sobre eleições de 2014

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!