Recriação da UDN é disputada por grupos diferentes

A volta ao cenário político brasileiro da União Democrática Nacional (UDN), partido extinto após o início da Ditadura Militar em 1964, representa uma disputa entre pelo menos dois grupos pelo controle do nome do antigo partido.

O ativista de direita e procurador da Justiça Desportiva Marco Vicenzo entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em abril para que a UDN, extinta pela Ditadura, seja recriada. O caso está sob a relatoria do ministro Edson Fachin, que pediu para o procurador Geral da República, Augusto Aras, se manifestar.

Já Marcos Alves de Souza quer começar o partido do zero e refuta a tese de extinguir a regra da Ditadura.

Tanto Souza quanto Vicenzo demonstraram a intenção de filiar o presidente Jair Bolsonaro, em crise com o PSL.

> Bolsonaro pede para que esqueçam o PSL e que o presidente do partido está "queimado"

Souza reclama que Vicenzo constantemente age como se falasse em nome da possível futura legenda e que tratou de filiações e ação no Tribunal Superior Eleitoral sem comunicar o presidente da sigla.

O procurador ressalta que, embora ambos tentem recriar a UDN, tratam-se de projetos diferentes.

Segundo o seu relato,  Vicenzo foi ao Palácio do Planalto na semana passada entregar, por meio de assessores palacianos, convite para que o presidente Jair Bolsonaro se filie à possível futura legenda. Leia a íntegra do convite.

Marco Vicenzo afirma que não chegou a se reunir com Bolsonaro, mas mantém interlocução com auxiliares próximos do presidente. Em fevereiro, o integrante da UDN se reuniu com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), terceiro filho do mandatário.

Na avaliação do ala que quer recriar a UDN do zero, a reunião com Eduardo Bolsonaro "subiu à cabeça" de Vicenzo e fez ele querer assumir um papel que não tem.

Vicenzo e Souza já trabalharam em conjunto. O procurador era responsável por trazer filiados em Brasília, mas decidiu agir por conta própria e refundar a UDN sem a participação de Souza.

De acordo com a UDN que Marcos de Souza tenta criar, ele não participou  da entrada dessa solicitação ao TSE e discorda com a tese de recriar o partido a partir do que existia antes da ditadura militar.

A tese de recriar a UDN com base na revogação da regra que extinguiu os partidos políticos na ditadura militar é descartada e Marcos Souza quer criar a legenda do zero.

> Olimpio pede para Carlos não “encher o saco” e Eduardo e Flávio deixarem o PSL

> Lançamos nosso primeiro crowdfunding. Contribua para o jornalismo independente!

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!