“Queremos muito que o PMDB permaneça no governo”, diz Dilma

Durante evento da Aeronáutica realizado em Brasília, a presidente defendeu a retomada do crescimento e ressaltou a importância do PMDB para o equilíbrio do governo

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (quarta,23) que tem todo o interesse que o PMDB permaneça na base aliada do governo. Na convenção do PMDB, no último dia 12, o partido decidiu que, em até 30 dias, o Diretório Nacional iria anunciar se mantém apoio ao governo. A presidente falou durante visita às obras de infraestrutura de solo para operação do satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas, no Centro de Operações Espaciais (Cope), do 6º Comando da Aeronáutica, em Brasília.

“Nós todos estamos bastante interessados na questão relativa à permanência do PMDB no governo. Tenho muito certeza de que nossos ministros estão comprometidos com sua permanência no governo”, disse Dilma. “Nós queremos muito que o PMDB permaneça. Então, a gente vai ver quais são as decisões do PMDB e respeitaremos as referidas decisões”, completou.

No início da tarde de ontem (22), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com o ex-senador José Sarney (PMDB-AP) e lideranças do partido.

Já o vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, esteve com o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, para uma conversa na qual foram avaliados os cenários em relação à crise política e à economia.

Retomada

A presidente afirmou ainda que é preciso estabilidade política para o Brasil voltar a crescer. Disse também que o governo está trabalhando fortemente para reduzir o desemprego e que a inflação já mostra sinais de declínio.

“Nós temos duas grandes preocupações em termos da economia. Temos uma que é reduzir o desemprego e fazer o Brasil voltar a crescer, e fazer isso controlando a inflação. A boa notícia é que a inflação já mostra todos os sinais de declínio”, disse a presidente, após o evento em Brasília.

“Somadas essas duas coisas, acredito que o grande esforço para fazer o Brasil voltar a crescer é estabilidade política, e parar com a tentativa sistemática de golpe”, disse.

Dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) divulgada hoje (quarta, 23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a taxa de desocupação para o conjunto das seis principais regiões metropolitanas do país subiu 0,6 ponto percentual de janeiro para fevereiro, quando fechou em 8,2% da população economicamente ativa – percentual de pessoas desocupadas. Os dados indicam que, em relação a fevereiro de 2015 (5,8%), a taxa subiu 2,4 pontos percentuais. O levantamento envolveu São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Mais sobre a presidente Dilma

Aécio NevesDilmaDilma RousseffimpeachmentJosé SarneyLulaMichel TemerpmdbPTRenan CalheirosRetomada do CrescimentoSarney