PT vai tentar barrar na Câmara participação da Petrobrás no pré-sal

"Nossos deputados federais combaterão a medida, na Câmara, com a mesma tenacidade dos nossos senadores", diz a nota assinada pelo presidente do PT, Rui Falcão

Após a aprovação do PLS 131/2015, que desobriga a Petrobras a participar de todos os investimentos na exploração do petróleo na camada pré-sal, o presidente do PT, Rui Falcão, disse em nota que o partido "continuará empenhado em resistir ao retrocesso" e vai trabalhar para barrar o avanço da matéria na Câmara.

"Nossos deputados federais combaterão a medida, na Câmara, com a mesma tenacidade dos nossos senadores", diz a nota assinada por Falcão. Na votação realizada ontem (25), toda a bancada do PT no Senado se posicionou contrária ao projeto de José Serra (PSDB-SP). A exceção foi justamente o novo líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE), que substitui no posto o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), às voltas com a Operação Lava Jato, e se absteve de votar.

Depois do anúncio do resultado de plenário, Humberto se disse dividido em razão do fato de o Planalto ter avalizado entendimento conduzido por um grupo de senadores do PMDB que, liderados por Romero Jucá (RR), articulou a aprovação de um texto substitutivo. "A bancada de senadores petistas, em conjunto com seus principais aliados, entre os quais destaco o senador Roberto Requião (PMDB-PR), se comportou com firmeza e bravura, solidária à orientação partidária, votando contra o PL 131", destacou Rui Falcão.

Além de Requião, outros três peemedebistas votaram contra o projeto, contrariando orientação de bancada: Edison Lobão (PMDB-MA), João Alberto Souza (PMDB-MA), e Simone Tebet (PMDB-MS).

Conforme adiantou o Congresso em Foco, a ampla maioria do PMDB e do PSDB se juntou em acordo para aprovar a matéria, considerada pelo PT como uma forma de privilegiar o capital estrangeiro em detrimento dos interesses da Petrobras. Já os defensores da matéria dizem que, em tempos de dificuldade financeira da estatal, alvejada pelos desvios de corrupção descobertos pela Lava Jato, ela será útil no combate à crise econômica.

Veja como cada senador votou

Confira a íntegra da nota divulgada pelo PT:

Nota da Presidência Nacional do PT

O país assistiu, ontem (24/02), a primeira de uma série de novas batalhas em defesa da propriedade pública e nacional do petróleo.

Aprovado pelo Senado, o projeto do tucano José Serra retira a obrigatoriedade legal de participação da Petrobras nos campos do pré-sal. Mesmo atenuado em sua versão substitutiva, ele fragiliza o regime de partilha e a política de conteúdo nacional.

A bancada de senadores petistas, em conjunto com seus principais aliados, entre os quais destaco o senador Roberto Requião (PMDB-PR), se comportou com firmeza e bravura, solidária à orientação partidária, votando contra o PL 131.

Apesar da derrota parlamentar sofrida, o Partido dos Trabalhadores continuará empenhado em resistir ao retrocesso representado por esta mudança da lei. Nossos deputados federais combaterão a medida, na Câmara, com a mesma tenacidade dos nossos senadores.

O PT marchará ao lado das demais forças progressistas, dos movimentos populares e sindicais contra este ataque à soberania nacional e ao nosso desenvolvimento independente.

Rui Falcão

Presidente nacional do PT

Mais sobre Petrobras

Mais sobre pré-sal

Continuar lendo