PT hostiliza Cunha, mas mantém aliança com o PMDB

Petistas rejeitaram trechos da resolução final do 5º Congresso Nacional, que defendiam o fim da aliança com o PMDB e alterações da política atual

O PT rejeitou em seu 5º Congresso Nacional encerrado neste sábado (13), a revisão da atual política econômica e também e o fim da aliança nacional do PMDB. Apesar disso, os petistas criticaram o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), classificando-o de “sabotador do governo   ” e em vários momentos do evento gritaram “fora Cunha”.

“Essa política de alianças deve ser revista agora para as eleições de 2016, em favor da aliança com as forças políticas e sociais sintonizadas com as reformas populares”, descrevia o trecho da resolução rejeitada pelos petistas. O próprio presidente do PT, Rui Falcão, ressaltou que existem “contradições” na aliança entre o PT e o PMDB. Mas ele apoiou a manutenção da união entre as siglas. No momento da votação do trecho da resolução, os militantes do PT gritaram “fora Cunha”. Alguns dirigentes do PT classificaram o presidente da Câmara como “oportunista de plantão” e “sabotador do governo”.

Durante o Congresso, petistas mais ligados à esquerda como o ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro pregaram a ruptura com o PMDB e a alteração do ajuste fiscal, que vem sendo promovido pela presidente Dilma Rousseff. As medidas, na visão destes petistas, poderiam ajudar no processo de reestruturação da legenda após o escândalo da operação Lava Jato.

No entanto, prevaleceu a visão da ala Construindo um Novo Brasil (CNB), liderada pelo ex-presidente Lula, segundo a qual a manutenção da governabilidade e da estabilidade econômica são essenciais para o avanço das políticas sociais do governo. “É preciso conduzir a orientação geral da política econômica para a implementação de estratégias para a retomada do crescimento, para a defesa do emprego, do salário e dos demais direitos dos trabalhadores, que permita a ampliação das políticas sociais”, descreve o trecho da resolução do PT aprovada no 5º Congresso, realizado em Salvador, desde quinta-feira.

O presidente do PT, Rui Falcão, no entanto, minimizou a disputa de forças no partido durante o 5º Congresso. “A grande vitoriosa foi a militância do PT, pois pode debater, externar as idéias e, como sempre, prevalece a vontade da maioria. Então, a grande vitoriosa é a militância do PT e a população brasileira, que confia no PT”, afirmou.

 

Saiba mais sobre o PT

Continuar lendo