PT do Senado diz que investigação contra Lula é ‘nova armação’

“É mais um factoide que engendram contra o presidente mais bem avaliado da História do país”, argumentam os petistas

A bancada do PT no Senado reagiu, “com estupor”, ao anúncio de investigação interna do procurador Valtan Timbó Mendes Furtado, da Procuradoria da República no Distrito Federal, contra o ex-presidente Lula por suposto tráfico de influência. Para os senadores petistas, “trata-se de um procedimento claramente irregular e intempestivo”.

“É mais um factoide que engendram contra o presidente mais bem avaliado da História do país”, diz trecho da mensagem.

Também por meio de nota, o próprio ex-presidente Lula afirmou mais cedo que foi surpreendido pela notícia da investigação. Segundo o cacique petista, o Ministério Público deve explicações sobre os procedimentos investigativos que considerou “contraditórios e arbitrários”.

Confira a íntegra da nota do PT:

“Senadores do PT repelem nova armação contra o ex-presidente Lula

A bancada do PT no Senado tomou conhecimento, com estupor, do pedido individual de investigação interna que um procurador do Ministério Público do DF, recentemente acusado de negligência em processo administrativo na Corregedoria do Ministério Público, pretende instaurar contra o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Trata-se de um procedimento claramente irregular e intempestivo, pois o Instituto Lula já havia apresentado à procuradora titular do caso todas as informações solicitadas, muito antes do esgotamento do prazo previsto para a entrega, dia 18 de setembro do corrente.

É mais um factoide que engendram contra o presidente mais bem avaliado da História do país. Dessa vez, com o agravante de que a agressão contra Lula foi encetada isoladamente por um procurador que, ao invés de atuar de forma republicana, a serviço do Brasil, parece mais empenhado em ações de cunho partidarizado, com o intuito de servir a interesses políticos mesquinhos e de se livrar do processo que tem contra si.

A Bancada do PT no Senado registra que foi justamente nos governos de Lula e de Dilma Rousseff que os órgãos de controle e fiscalização, inclusive o Ministério Público, passaram a atuar com maior rigor e autonomia no imprescindível combate à corrupção. Por isso, a Bancada não pode deixar de repudiar ações isoladas que maculem a necessária isenção e o reconhecido profissionalismo da instituição.

Temos a convicção, entretanto, que essa ação isolada e irregular se revelará aquilo que ela verdadeiramente é: um factoide de natureza político-partidária.

Afinal, o único crime que o presidente Lula cometeu foi ter defendido o Brasil no exterior. O imperdoável crime de Lula foi ter tirado, junto com Dilma Rousseff, 40 milhões de brasileiros da miséria e erradicado a fome crônica no Brasil.

Mas o grande crime que o presidente Lula realmente cometeu foi ter governado para o povo e pelo povo do Brasil, ao contrário de antecessores que, em 500 anos de História, sempre governaram para os poucos de sempre.

É isso que nunca perdoarão a Lula. Para os “donos do poder’, esse é um crime imprescritível.

Lula é perseguido pelos seus extraordinários acertos, não por eventuais erros. Lula é perseguido por suas grandes virtudes, não por supostos ilícitos.

A bancada do PT no Senado manifesta a convicção de que Lula não será maculado por uma ação isolada, politicamente oportunista e juridicamente inconsistente e vazia.

Afinal, no julgamento maior da História, Lula já foi absolvido do crime hediondo que mancha aqueles que o perseguem: agir contra o Brasil e seu povo.”

Mais sobre Lula

Mais sobre o PT

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!