PSDB pede à PGR investigação sobre membros da CPI do Carf

Parlamentares da legenda tucana falam em crime caracterizado por obtenção de vantagem indevida por agente público. De acordo com denúncia, membros do colegiado negociavam para impedir a convocação de empresários à comissão

Deputados do PSDB que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Conselho Administrativo de Recursos Federais (Carf) apresentaram nesta quinta-feira (23) representação junto ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo a “imediata instauração de inquérito para apuração da eventual prática de crime de concussão” por parlamentares do colegiado. O crime é caracterizado pela obtenção de vantagem indevida por agente público.

De acordo com a denúncia, deputados estariam procurando empresários e negociando vantagens para impedir a convocação deles pela CPI. “A evidência desse comportamento nefasto e criminoso tem que ser apurada, até mesmo para que a sociedade saiba se, de fato, existem parlamentares transformando esse imprescindível mecanismo de investigação da Câmara em instrumento para constranger pessoas e exigir vantagem indevida a pretexto de protegê-las”, diz trecho da representação do PSDB.

O documento é assinado pelo coordenador da bancada tucana na comissão, Carlos Sampaio (SP), e se baseia em denúncia feita pelo vice-presidente da CPI, Hildo Rocha (PMDB-MA), que relatou “a existência de práticas extorsivas por parte de parlamentares que integram a comissão, que foi criada para apurar a prática de crimes envolvendo o Carf”.

Os membros do PSDB também dizem que é “inadmissível que, mesmo após as investigações realizadas pela Operação Lava Jato, que estão passando o Brasil a limpo, ainda tenhamos que conviver com criminosos que, travestidos de parlamentares, utilizam de seus cargos para achacarem e enriquecerem”.

 

* Com informações da Agência Brasil

Mais sobre CPI do Carf

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!