PSDB diz que fala de Eduardo Bolsonaro pode “jogar país nas trevas”

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, escreveu uma nota (leia mais abaixo) nesta quinta-feira (31) criticando a declaração do terceiro filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, de que se a "esquerda radicalizar" será posto em prática o regime de restrições democráticas vivenciado na Ditadura Militar conhecido como Ato Institucional número 5.

O deputado do PSL de São Paulo fez o comentário durante entrevista para a apresentadora Leda Nagle.

"Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual a do final dos anos 60 no Brasil, quando sequestravam aeronaves, quando executavam-se e sequestravam-se grandes autoridades, cônsules, embaixadores, execução de policiais, de militares. Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente via precisar ter uma resposta. E a resposta, ela pode ser via um novo AI-5, via uma legislação aprovada através de um plebiscito, como aconteceu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada", defendeu.

O presidente nacional do PSDB não está no Brasil nesta quinta-feira, mas fez questão de se posicionar por meio do texto. O PSDB divulga o conteúdo da nota pelo WhatsApp, Twitter, Facebook e outras redes sociais.

Leia a íntegra:

"Parece que não restam mais dúvidas sobre as intenções autoritárias de quem não suporta viver em uma sociedade livre. Preferem a coerção ao livre debate de ideias. Escolhem a intolerância ao diálogo.

Ameaçar a democracia é jogar o Brasil novamente nas trevas. O PSDB nasceu na luta pela volta da democracia no Brasil condena de maneira veemente as declarações do filho do presidente da República.

Bruno Araújo - Presidente Nacional do PSDB"

> Eduardo Bolsonaro acena com a volta de ditadura se Brasil repetir o Chile

Catarse

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!