Protesto contra Renan chega a 300 mil assinaturas

Manifesto virtual defende a eleição de um presidente do Senado sem problemas na Justiça

No momento em que os senadores se preparam para escolher o novo presidente do Senado, a petição contra a volta de Renan Calheiros (PMDB-AL) ao comando da Casa alcançou (por volta das 12h) a marca de 300 mil assinaturas. O abaixo-assinado, criado pela ONG Rio de Paz e hospedado na rede Avaaz, defende a eleição de um presidente do Senado sem problemas na Justiça.

Editorial do Congresso em Foco: a rendição do Congresso ao chiqueiro da política

“Fazemos um apelo aos senhores senadores para que escolham um presidente ficha-limpa, comprometido com o desenvolvimento social e que seja capaz de dirigir o Senado com independência e dignidade”, defende o manifesto.

Considerado favorito para vencer a disputa com Pedro Taques (PDT-MT), em instantes, Renan é alvo de três investigações no Supremo Tribunal Federal (STF). Em um dos casos, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, o acusa de ter cometido três crimes: peculato (desvio de dinheiro público ou bem público por funcionário público), falsidade ideológica e uso de documento falso.

A revista Época teve acesso à denúncia, revelada em primeira mão pelo Congresso em Foco no último sábado (26), que aponta o uso de notas fiscais frias para comprovar que tinha renda suficiente para cobrir despesas da mãe de sua filha.

PGR acusa Renan de ter cometido três crimes

Leia a íntegra do manifesto do abaixo-assinado:

“O Senador Renan Calheiros, que acaba de ser denunciado criminalmente ao STF pelo Procurador-Geral da República, é o favorito para ser o próximo presidente do Senado. Somente uma mobilização gigantesca pode impedir esta vergonha.

A última vez que Renan Calheiros foi Presidente do Senado, em 2007, ele teve que renunciar após sérias denúncias de que um lobista pagava suas despesas pessoais, paralisando o Senado por meses. A denúncia agora é que para se defender daquelas acusações ele apresentou notas falsas. Após a aprovação da lei da Ficha Limpa e do julgamento do Mensalão o país precisa deixar claro que não aceita mais que a moralidade pública fique em segundo plano.

Antes da denúncia ao STF, Renan era franco favorito, mas agora está surgindo uma forte articulação entre os Senadores contra sua candidatura e uma mobilização popular gigantesca nas próximas 24 horas — antes da eleição na sexta-feira — pode enterrar de vez os Planos de Renan. Assine agora essa petição, que foi criada pela ONG Rio de Paz, e ao atingirmos 100.000 assinaturas ela será lida no plenário do Senado por Senadores que se opõem a Renan.”

Leia ainda:

Gurgel denuncia Renan no caso dos bois de Alagoas

Impedidas de limpar o Senado, entidades fazem cruz

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!