Programa anti-desmatamento aplica só 23% do dinheiro

Foram gastos apenas R$ 69,7 milhões dos R$ 305 milhões previstos no orçamento, revela ONG

Apesar de já estarmos no segundo semestre, o programa de controle de desmatamentos e incêndios do governo federal só gastou 23% dos R$ 305 milhões autorizados no orçamento. Ao contrário, o desmatamento da Amazônia subiu 35% de agosto de 2012 até maio deste ano. As informações são da ONG Contas Abertas, que fiscaliza a execução orçamentária do governo.

Segundo o estudo, publicado neste sábado (27), só foram desembolsados apenas R$ 69,7 milhões de janeiro a 15 de julho deste ano. Os valores abasteceram o programa “Florestas, Prevenção e Controle do Desmatamento e dos Incêndios”, administrado pelo Instituto Chico Mendes e pelos ministérios do Meio Ambiente e de Ciência e Tecnologia.

“O problema em relação à baixa execução do programa é antigo”, destaca a ONG. De 2002 a 2012 foram autorizados cerca de R$ 1,4 bilhão para prevenção de incêndios e desmatamentos. Mas apenas R$ 971,6 milhões foram desembolsados, menos de 70% do total.

Verba presa

O Ministério do Meio Ambiente executa o programa de recuperação da cobertura vegetal de áreas degradadas. Mas, nesta ação, só desembolsou R$ 330 mil dos R$ 4,8 milhões autorizados, menos de 7%. O ministério informou à Associação Contas Abertas que, do total autorizado, R$ 4 milhões são provenientes de uma emenda parlamentar contingenciada pela Presidência da República. Os valores só poderiam ser liberados com autorização da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, segundo o ministério.

Mais sobre meio ambiente

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!