Em editorial, O Globo pede saída de Cunha e estranha falta de indignação

Jornal carioca afirma que, no atual momento de turbulência política e econômica do país e com tantas provas divulgadas, afastamento do presidente da Câmara deve ser o mais rápido possível

O editorial do jornal O Globo desta quarta-feira (21) afirma que as provas contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) são suficientes para garantir o afastamento dele da presidência da Câmara e que isso deveria ocorrer ainda mais rápido com a crise econômica e política do país.

O texto faz uma comparação da situação do atual presidente da Casa com Severino Cavalcanti (PP-PE), que presidia a Câmara em 2005 e foi “enxotado” ao se comprovar que recebia uma mesada de R$ 10 mil de um grupo de restaurantes que obteve concessão de serviço público.

O jornal estranha que hoje não exista mais a mesma indignação que há dez anos e faz a relação do fato com os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma.

"Há uma estranha anestesia na sensibilidade do mundo político. Se, em 2005, o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), foi enxotado ao se confirmar que recebia um “mensalinho” de R$ 10 mil de um concessionário de restaurante, a semana começou sob o impacto do noticiário das milionárias contas na Suíça do atual presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sem que houvesse a mesma indignação de há dez anos."

Para a publicação, é insustentável manter na presidência da Câmara “alguém sob tantas suspeitas e evidências”.

Leia aqui a íntegra do editorial de O Globo

Mais sobre Eduardo Cunha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!