Presidente interino da CLDF suspende pedidos de cassação de distritais

Juarezão decide esperar investigações do MPDFT para dar andamentos aos 11 pedidos de cassação por quebra de decoro parlamentar na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Os alvos dos processos são Raimundo Ribeiro, Cristiano Araújo, Celina Leão, Júlio César e Bispo Renato

O deputado distrital Juarezão (PSB), que ocupa interinamente a presidência da Câmara Legislativa do DF, anunciou nesta quarta-feira (28) a decisão de suspender os processos de parlamentares investigados pela Operação Drácon. Como este site mostrou no último dia 22, mesmo afastados, os cinco distritais envolvidos nas denúncias de cobrança de propina para aprovação de emenda parlamentar destinada a pagamento de empresas na área de saúde articularam para engavetar os pedidos de cassação contra eles na Casa.

Para explicar o sobrestamento, Juarezão afirmou que pretende esperar o desdobramento das investigações feitas pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).

Cerca de 11 pedidos de cassação por quebra de decoro parlamentar foram apresentados contra Raimundo Ribeiro (PPS), Cristiano Araújo (PSD), Celina Leão (PPS), Júlio César (PRB) e Bispo Renato (PR) depois que a ex-vice-presidente da CLDF, Liliane Roriz (PTB), denunciou o esquema.

De acordo com a assessoria do presidente interino, "a decisão pelo sobrestamento do andamento das representações ocorreu em razão de um pedido feito pelo Ministério Público". A equipe de Juarezão explicou ainda que o MP esclareceu que seria necessário "prorrogar em 60 dias o prazo para prosseguimento nas investigações".

Todos os pedidos de cassação protocolados na Casa receberam parecer favorável da Procuradoria-Geral da Câmara Legislativa (PGCL) que avaliou existirem “requisitos suficientes” para dar continuidade às ações.

Leia a íntegra da nota:

"A assessoria do deputado Juarezão esclarece que a decisão pelo sobrestamento do andamento das representações ocorreu em razão de um pedido feito pelo Ministério Público, para prorrogar em 60 dias o prazo para prosseguimento nas investigações. O requerimento do Ministério Público foi deferido pelo desembargador José Divino de Oliveira, relator dos autos, no dia 15/09."

Mais sobre a Operação Drácon

Mais sobre Distrito Federal

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!