Impeachment: processo não para, diz presidente da comissão no Senado

Para Raimundo Lira, decisão do deputado Waldir Maranhão foi "essencialmente política, equivocada" e não vai atrapalhar o andamento do impeachment no Congresso. Assista ao vídeo

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB), que presidiu a Comissão Especial do Impeachment no Senado, alegou que a Câmara não tem mais gerência sobre o processo de impeachment e que a decisão do deputado Waldir Maranhão (PP-MA) de anular as sessões do impeachment na Câmara não altera o trâmite do processo no Congresso Nacional.

Assista ao vídeo:

 

"No momento em que a Câmara protocolou a denúncia no Senado, a Câmara perdeu qualquer ingerência sobre o processo", disse Lira. Para ele, a decisão de Maranhão foi "política e equivocada".

A oposição já informou que vai entrar com um mandado de segurança no STF para cancelar a decisão do presidente da Casa em exercício. Democratas, Solidariedade e PSDB são os partidos que estão encabeçando os pedidos à Suprema Côrte.

O Supremo Tribunal Federal e o presidente e do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), vão decidir se acatam ou não o ato do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, que anulou, na manhã desta segunda-feira, a sessão do dia 17 de abril que abriu o processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff.

Mais sobre impeachment

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!