PPS vai pedir que corregedoria da Câmara investigue Rodrigo Bethlem

Em gravações de áudio e vídeo, Bethlem admite ter recebido propina e ter uma conta na Suíça. Caso foi revelado por ex-mulher de parlamentar

O PPS anunciou hoje (28) que vai pedir à corregedoria da Câmara apuração sobre suposto envolvimento do deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ) em caso de corrupção revelado no último final de semana. Líder do PPS na Casa, o deputado Rubens Bueno informou que vai protocolar uma representação nesta terça-feira (29).

Candidato à reeleição, Bethlem aparece em gravações de áudio de vídeo, divulgadas pelas revistas Época e Veja, admitindo receber propina quando secretário da prefeitura do Rio de Janeiro e ter uma conta na Suíça (não declarada). As gravações foram feitas pela ex-mulher do parlamentar, Vanessa Felippe – ela discordava do valor da pensão após o divórcio.

“A Câmara precisa, imediatamente, apurar, com rigor, a denúncia revelada pela imprensa e que contém farto material com vídeo e áudio apontando a suposta participação de um deputado federal no esquema de recebimento de propina”, disse Rubens Bueno, que, em nota, classificou o caso como "grave".

Nas gravações, Bethlem falou sobre o esquema num diálogo com a ex-mulher, em 2011. De acordo com as reportagens, pelo esquema, ele recebia até R$ 85 mil por mês (fora do salário) a partir do desvio de dinheiro de contratos firmados pela prefeitura. Em nota, divulgada no último sábado, o parlamentar negou a acusação.

Caberá à corregedoria da Câmara arquivar o caso ou encaminhá-lo ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa. As revistas citam contratos firmados entre a secretaria de Assistência Social da prefeitura do Rio e a ONG Casa Espírita Tesloo.

 

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!